05:26 06 Março 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    2374
    Nos siga no

    A Coreia do Sul retirou uma unidade naval antipirataria de perto do estreito de Ormuz em uma tentativa de reduzir as tensões e criar um clima positivo antes das negociações com o Irã sobre petroleiro apreendido.

    De acordo fonte diplomática, citada pela agência de notícias Yonhap, a Coreia do Sul retirou a unidade militar Cheonghae momentos antes de a delegação sul-coreana, liderada pelo primeiro-vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Choi Jong-kun, chegar a Teerã no dia 10 de janeiro para encontro com oficiais iranianos.

    "Para criar uma boa atmosfera para as negociações, a unidade militar Cheonghae, a qual o Irã respondeu com sensibilidade, foi retirada [...] Esta foi uma decisão para enviar um sinal amistoso ao Irã diante das negociações", afirmou a fonte.

    Por sua vez, Choi Jong-kun afirmou "não poder confirmar nenhuma informação sobre as operações da unidade militar Cheonghae".

    Após a apreensão da embarcação sul-coreana, a nação asiática decidiu enviar o destróier Choi Young, um moderno navio de guerra multifuncional que tem um deslocamento padrão de cerca de 4.400 toneladas, podendo deslocar até 5.520 toneladas com uma carga total de combate.

    O Choi Young possui um armamento primário composto por sistemas de lançamento vertical Mk 41 (VLS, na sigla em inglês. Estes podem ser carregados com mísseis terra-ar do Bloco IIIA Standard Missile 2, fabricados nos EUA, ou mísseis de cruzeiro de ataque terrestre Hyunmoo-3 concebidos pela Coreia do Sul, bem como o Foguete Antissubmarino Coreano (K-ASROC, na sigla em inglês), também conhecido como Red Shark (Tubarão Vermelho, em tradução livre).

    Navio da marinha sul-coreana dispara míssil durante exercício no mar do Leste da Coreia do Sul
    © AP Photo / Ministério da Defesa da Coreia do Sul
    Navio da marinha sul-coreana dispara míssil durante exercício no mar do Leste da Coreia do Sul

    A embarcação também dispõe de dois lançadores de mísseis antinavio Harpoon de quatro tubos, um canhão principal de cinco polegadas, um lançador de mísseis RIM-116 e um sistema de armas de defesa próxima Goalkeeper de 30 mm. O destróier também conta com hangares e helipontos para suportar até dois helicópteros Lynx leves.

    Contudo, por enquanto, a Coreia do Sul diz estar trabalhando através das vias diplomáticas para libertar o petroleiro Hankuk Chemi e sua tripulação constituída por cinco sul-coreanos, 11 birmaneses, dois indonésios e dois vietnamitas.

    No dia 4 de janeiro, uma embarcação sul-coreana, que viajava da Arábia Saudita para os Emirados Árabes Unidos, transportando mais de sete mil toneladas de produtos químicos derivados de petróleo, foi apreendida pelo Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) do Irã no estreito de Ormuz, supostamente por alegações de poluição marinha de produtos químicos.

    Mais:

    Comando Central dos EUA passa a incluir Israel para ampliar esforços árabe-israelenses contra Irã
    Irã avisa que 'não nos acanhamos de esmagar os agressores' após voo de bombardeiros B-52 dos EUA
    Irã inicia exercícios Grande Profeta 15 conduzindo lançamento maciço de mísseis balísticos (VÍDEO)
    Tags:
    Irã, Estreito de Ormuz, destróieres, destróier, Coreia do Sul, Marinha, Marinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar