06:28 23 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    348
    Nos siga no

    A empresa Lockheed Martin ganhou um contrato de US$ 4,9 bilhões (R$ 25,9 bilhões) para desenvolver três satélites geossíncronos no âmbito do programa Infravermelho Contínuo Suspenso de Última Geração (NG-OPIR, na sigla em inglês), informou Pentágono.

    Os satélites serão operados pela Força Espacial dos EUA e vão fornecer aviso inicial de lançamento de mísseis balísticos ou táticos em qualquer ponto do planeta.

    A Força Espacial está adquirindo cinco satélites NG-OPIR – três de órbita geossíncrona fabricados pela Lockheed Martin e dois satélites em órbita polar feitos pela empresa Northrop Grumman.

    O contrato abrange a fabricação, montagem, integração, testes e a entrega dos satélites até maio de 2028, além de incluir elaboração de software de sistemas terrestres e de engenharia de sistemas.

    Satélite em órbita terrestre
    © Fotolia / Andrei Armyagov
    Satélite em órbita terrestre

    Os aparelhos têm sensores mais potentes, entre outras características que os tornam mais resistentes contra potenciais ataques em comparação com os satélites atuais, escreve portal Space News.

    Vários países, incluindo Rússia e a China, possuem armas antissatélite e esse fator importante estimulou a formação da Força Espacial dos EUA.

    Mais:

    EUA apresentam novo drone de 25 toneladas para levar satélites ao espaço (VÍDEO)
    Foguete da SpaceX lança satélite espião dos EUA em missão secreta (VÍDEOS)
    Mais poderosa do que nunca? Armamentos que Rússia usará nos próximos anos
    Tags:
    tecnologia militar, China, Rússia, Pentágono, satélites, míssil balístico intercontinental, Força Espacial Militar dos Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar