14:33 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1819
    Nos siga no

    A Marinha dos EUA iniciará patrulhamentos regulares ao largo da costa russa no Ártico para evitar o "avanço de Moscou no Extremo Norte", disse Kenneth Braithwaite, secretário da Marinha dos EUA.

    "Vocês verão a Marinha operando novamente acima do Círculo Polar Ártico de forma mais permanente", disse Braithwaite aos jornalistas.

    O secretário da Marinha disse que nos próximos anos Washington terá que "operar de forma mais assertiva" no Ártico para desafiar as "reivindicações" da Rússia e da China no Extremo Norte.

    Ao ser perguntado se os EUA devem começar a conduzir as missões conhecidas como Operações de Liberdade de Navegação (FONOPs, na sigla em inglês) perto da costa norte da Rússia, Braithwaite comparou a situação na região com o que ocorre no mar do Sul da China, onde Pequim tem disputas territoriais com vários países.

    "É mais ou menos a mesma situação no mar do Sul da China em que, quando olhamos as operações de liberdade de navegação e a possibilidade de operar em águas internacionais, os Estados Unidos reivindicam o direito de poder fazê-lo", afirmou secretário da Marinha.

    Navio de desembarque da Marinha dos EUA
    © AP Photo / Steve Helber
    Navio de desembarque da Marinha dos EUA
    "Isso nos leva até o [mar de] Barents e em seguida nos leva em torno de Barents e para cima até a península de Kola para estar mais presente naquela parte do mundo. Mais uma vez, onde as vias marítimas se abrem e a passagem do norte se torna navegável, a Marinha dos EUA garantirá que a liberdade de navegação exista para nossos parceiros", ressaltou.

    Segundo Braithwaite, a principal vantagem dos EUA no Ártico são os submarinos. Porém, ele acrescentou que a Marinha dos EUA terá que alugar quebra-gelos dos aliados, enquanto a Rússia tem uma grande frota deste tipo de navios e a China constrói embarcações a um ritmo que os EUA simplesmente "não podem igualar", escreve portal Breaking Defense.

    A Guarda Costeira norte-americana neste momento só tem dois quebra-gelos, e só um funciona depois que o USS Healy sofreu um incêndio em agosto. Os EUA não devem obter um novo quebra-gelo antes de 2024.

    Mais:

    Noruega reforça porto militar no norte do país para acolher submarinos nucleares dos EUA
    Marinha dos EUA realiza exercícios navais conjuntos com Reino Unido no Ártico (FOTOS)
    Força Aérea dos EUA realiza 'caminhadas de elefante' com mais de 30 aeronaves no Alasca (VÍDEO)
    Tags:
    missão de patrulha, liberdade de navegação, China, fronteiras russas, oceano Ártico, Marinha dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar