09:22 15 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    237
    Nos siga no

    EUA enviaram drones de reconhecimento e ataque MQ-9 Reaper e aproximadamente 90 militares para base aérea na Romênia, informou a Força Aérea dos EUA na Europa e na África.

    Drones e militares norte-americanos foram levados para base aérea romena na cidade de Campia Turzii, no distrito de Cluj, na região da Transilvânia. Foi indicado que os drones e os militares ficarão na Romênia por um "longo" tempo, mas nenhum prazo exato foi especificado.

    De acordo com o general Jeffrey Harrigian, comandante da Força Aérea dos Estados Unidos na Europa e na África, o intuito da implantação de drones neste local estratégico é proporcionar segurança aos aliados e parceiros, assim como deixar claro para os adversários "que podemos responder rapidamente a qualquer ameaça emergente".

    "A Força Aérea dos EUA implantou os veículos aéreos MQ-9 Reaper e cerca de 90 funcionários dessas tropas na 71ª base aérea da cidade de Campia Turzii, Romênia, para a coleta de informações, vigilância e inteligência em apoio às operações da OTAN", destaca o comunicado de imprensa publicado no site do comando.

    É certo que a iniciativa foi acordada com as autoridades romenas que fazem parte do "compromisso" dos Estados Unidos com a segurança e estabilidade na Europa, bem como progredir com o objetivo de estreitar as relações entre os aliados da OTAN e outros parceiros europeus.

    MQ-9 Reaper, produzido pela empresa norte-americana General Atomics, é um drone equipado com motor turboélice, que atinge velocidade máxima de mais de 400 quilômetros por hora. O dispositivo não tripulado pode subir a uma altura de 13 mil metros e tem duração de voo de 24 horas.

    Mais:

    Pescador indonésio acha objeto desconhecido que pode ser drone submarino chinês, diz mídia (FOTOS)
    Irã inicia 1º exercício em grande escala com centenas de drones (VÍDEO)
    Rússia desenvolve novas armas a laser para derrubar drones
    Tags:
    militares, Romênia, eua, drones
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar