17:28 27 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0221
    Nos siga no

    O segundo porta-aviões chinês, Shandong, recentemente conduziu uma série de exercícios noturnos para alcançar prontidão 24 horas por dia.

    De acordo com o jornal Global Times, o acesso a diversas regiões do mar do Sul da China foi restringido devido aos exercícios militares que devem ocorrer até o dia 7 de janeiro.

    Recentemente, a embarcação passou por diversos testes no mar de Bohai, visando o treinamento noturno, como navegação por canais estreitos, busca e resgate marítimo e gerenciamento de danos.

    As operações noturnas são consideradas de fundamental importância para qualquer unidade militar, para elevar o nível estratégico e tático dos militares, segundo especialista chinês, citado pelo Global Times.

    Com isso, Pequim mostra que o Shandong está progredindo rapidamente, rumo à conquista da capacidade de combate 24 horas por dia.

    "Não demorará muito para que eles realizem exercícios noturnos de pouso e decolagem no Shandong", afirmou.

    Desde seu lançamento, o porta-aviões chinês tem cumprido com sucesso suas missões, que incluem pousos e decolagens de caças, disparo de fogo real e calibração do sistema de combate, segundo o coronel naval Liu Wensheng, da Marinha do Exército de Libertação Popular (ELP).

    O Shandong, que é o segundo porta-aviões chinês, foi comissionado pela Marinha do PLA em 17 de dezembro de 2019, em Sanya, no sul da China.

    O Shandong tem 315 metros de comprimento, desloca de 40 a 60 mil toneladas e é maior que o Liaoning, o primeiro porta-aviões chinês. O navio pode operar com 44 aeronaves, sendo 36 caças, em comparação com as 36 aeronaves (sendo 24 jatos) do Liaoning.

    Mais:

    China poderia superar Marinha norte-americana, adverte Congresso dos EUA
    Marinha dos EUA quer mudar estratégia com novas fragatas para fazer frente à China, escreve portal
    Marinha dos EUA envia 2 porta-aviões para o Pacífico em meio a tensões com China
    Tags:
    navio, navios, navios, porta-aviões, Marinha, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar