01:31 27 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    01216
    Nos siga no

    O caça de 6ª geração desenvolvido no âmbito do programa Domínio Aéreo de Próxima Geração (NGAD, na sigla em inglês) para a Força Aérea dos EUA muito provavelmente receberá um copiloto representado por sistema de inteligência artificial (IA).

    Os detalhes do projeto foram divulgados por Will Roper, secretário assistente da Força Aérea para aquisição, escreve portal Popular Mechanics.

    Roper está confiante que o caça do programa NGAD "terá um copiloto assistido por IA, ou talvez até ARTUµ [um sistema de inteligência artificial desenvolvido em algoritmos de jogo de xadrez]".

    O secretário assistente para aquisição explicou que o sistema de IA desempenhará um papel auxiliar para o piloto humano.

    Boeing revela conceito atualizado de caça F/A-XX de sexta geração
    © flickr.com / Times Asi
    Boeing revela conceito atualizado de caça F/A-XX de sexta geração
    Ele observou que a principal vulnerabilidade dos sistemas de inteligência artificial é sua lógica, uma vez que um cenário de conflito real pode não se enquadrar nesta lógica, o que requer a presença de uma pessoa para tomar decisões em situações incomuns.

    Em meados de setembro, a Força Aérea dos EUA secretamente projetou, construiu e fez voar um protótipo do enigmático caça de sexta geração.

    Quase todos os detalhes do avião permanecem em segredo devido à classificação do programa NGAD e do esforço da Força Aérea para desenvolver sistemas aéreos conectados que podem incluir caças, drones e outras plataformas em rede.

    Mais:

    O que torna caça russo Su-35 superior ao americano F-22? Mídia norte-americana explica
    Engenheiros russos planejam desenvolver caça de 6ª geração a partir do MiG-31
    Marinha dos EUA inicia desenvolvimento de novo caça-bombardeiro de 6ª geração
    Tags:
    caças de sexta geração, inteligência militar, inteligência artificial, copiloto, Força Aérea dos EUA, novas tecnologias
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar