13:36 22 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 221
    Nos siga no

    Uma nova versão do bombardeiro chinês H-6K foi avistada durante o segundo patrulhamento aéreo conjunto entre forças russas e chinesas, realizado na terça-feira (22).

    De acordo com especialistas militares citados pelo jornal Global Times, a nova versão é mais potente que a versão original do bombardeiro.

    A Força Aérea de Autodefesa do Japão identificou quatro bombardeiros chineses H-6 e dois Tu-95 russos sobrevoando o mar do Sul da China e o mar do Japão.

    A Força Aérea de Autodefesa do Japão obteve fotos dos bombardeiros russos e chineses. Em uma delas, do bombardeiro H-6K, são visíveis quatro suportes de fixação (pylons) sob a asa direita, embora não estivessem portando armas.

    Anteriormente, as forças chinesas haviam informado que o bombardeiro H-6K teria seis suportes, três de cada lado. Desta forma, tudo indica que a aeronave avistada possa ser uma versão melhorada da original.

    Acredita-se que os cabides próximo da ponta da asa possam ser usados para fixar módulos de guerra eletrônica, além de poderem portar oito mísseis ar-terra de longo alcance.

    Na terça-feira (22), seis bombardeiros da Rússia e China patrulharam em conjunto a região da Ásia-Pacífico.

    Os aviões agiram estritamente de acordo com as normas do direito internacional. Não houve violações do espaço aéreo de países terceiros.

    A patrulha foi realizada no âmbito do cumprimento das cláusulas do plano de colaboração militar para o ano de 2020 e não é orientada contra países terceiros, segundo o Ministério da Defesa da Rússia.

    Mais:

    EUA enviam bombardeiros para missões em mares que banham China
    Novo bombardeiro nuclear chinês Xian H-20 poderá causar problemas aos EUA no Pacífico, diz mídia
    China envia caça e bombardeiro para costa de Taiwan (FOTO)
    Tags:
    China, bombardeiro estratégico, bombardeiro supersônico, bombardeiros, Bombardeiro, avião militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar