14:06 15 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    10840
    Nos siga no

    General Nick Carter, chefe da Defesa do Reino Unido, afirmou ao jornal The Times que o seu país precisa "vencer" a Rússia e a China "no jogo delas", depois de ter traçado uma estratégia um tanto enraizada na mentalidade da Guerra Fria.

    Ataques cibernéticos, conflitos assimétricos e vigilância digital entram na lista de "ameaças" e "desafios" imposta ao Reino Unido e aliados por uma Rússia e China "assertivas". A lista parece ser longa, ao menos na mente do alto escalão militar britânico.

    Em entrevista, o general Nick Carter definiu a Rússia como uma "ameaça aguda" e chamou a China de "desafio crônico".

    O militar britânico acredita que o Reino Unido necessita de uma nova estratégia para responder ao desafio representado por China e Rússia que, segundo o general britânico, consideram o mundo uma "luta contínua sem limites", segundo escreve o jornal.

    "Para ganhar, é preciso vencê-las no próprio jogo delas, e isso significa vencê-las abaixo do limiar da guerra", afirmou o general, reforçando a estratégia delineada por ele durante a Conferência do Chefe do Estado-Maior da Defesa anual, realizada na quinta-feira (17).

    A estratégia exorta os militares britânicos a "pensarem em várias dimensões", o que significa ser preciso "intensificar a dimensão cibernética enquanto atenuamos nossa postura na dimensão aérea ou marítima e transmitimos um tom de agressão reduzida na dimensão da informação".

    Ao mesmo tempo, Nick Carter não descartou uma guerra tradicional, dizendo que os militares britânicos devem recorrer a "todos os instrumentos de estadismo" em disposição, incluindo ideologia, política comercial e poder militar, para ganhar "a competição abaixo do limiar da guerra".

    Mais:

    Marinha britânica inicia investigação após porta-aviões ser inundado por vazamento de água (VÍDEO)
    Marinha britânica inicia produção do maior drone submarino do mundo
    Marinha britânica falha na introdução de novo torpedo por não possuir submarinos capazes de testá-lo
    Tags:
    ameaça militar, desafios, Rússia, China, estratégia, Exército britânico, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar