07:07 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0285
    Nos siga no

    Taiwan entrou em alerta máximo e implantou seus navios e caças após a passagem do porta-aviões chinês Shandong, que estava acompanhado por quatro navios de guerra.

    De acordo com Taipé, após a passagem do grupo chinês pelo estreito de Taiwan no dia 20 de dezembro, foram enviados à região seis navios de guerra e oito aeronaves para "garantir a segurança".

    "Com o apoio do povo, as Forças Armadas nacionais têm a confiança e a capacidade de proteger a pátria, garantir a segurança nacional e preservar a estabilidade e a paz regional", afirmou o Ministério da Defesa de Taiwan, citado pela Reuters. 

    Por sua vez, Pequim não comentou a passagem do grupo de Shandong, que atravessou o estreito de Taiwan.

    Entretanto, Pequim condenou a passagem do destróier norte-americano USS Musti pela região, no dia 19 de dezembro.

    A corveta da classe Tuo Chiang pode ser vista durante a cerimônia oficial em Yilan, Taiwan, 15 de dezembro de 2020
    © REUTERS / Ann Wang
    A corveta da classe Tuo Chiang pode ser vista durante a cerimônia oficial em Yilan, Taiwan, 15 de dezembro de 2020

    De acordo com militares chineses, as ações do destróier norte-americano contribuíram para "colocar em risco a paz e a estabilidade no estreito". Os EUA já enviaram seus navios ao estreito de Taiwan em 12 ocasiões só neste ano.

    Especialistas militares acreditam que as manobras possam ser vistas como um alerta aos separatistas, que conspiram para desestabilizar a região, principalmente depois de os EUA aprovarem a venda de armas para Taiwan, bem como enviarem um destróier ao estreito de Taiwan.

    Mais:

    'Direito de autodefesa': Taiwan iniciará construção de submarinos em meio a tensões com China
    Força Aérea de Taiwan suspende todos os voos de F-16 após sumiço de caça
    Marinha chinesa conduz exercícios de assalto anfíbio em meio a tensões com Taiwan (VÍDEO)
    Tags:
    Taiwan, Estreito de Taiwan, China, Marinha, Marinha chinesa, alerta máximo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar