04:25 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1273
    Nos siga no

    A liderança das Forças Armadas da Rússia tomou medidas em resposta ao reforço das tropas da OTAN perto da fronteira da região russa de Kaliningrado, disse Aleksandr Nosatov, comandante da Frota do Báltico russa.

    Uma das medidas é a formação de uma divisão militar com regimentos de tanques, infantaria motorizada e de artilharia.

    "Em resposta a esta ameaça, a liderança das Forças Armadas é obrigada a tomar medidas de resposta. Uma delas foi a criação de uma divisão de infantaria motorizada completa, que integrou o corpo de exército da Frota do Báltico", explicou Nosatov ao jornal Krasnaya Zvezda.

    Segundo o comandante da frota, o reforço "se deve principalmente ao aumento das tropas da OTAN na proximidade das fronteiras terrestres da região de Kaliningrado".

    Perto das fronteiras da referida região há uma unidade de blindados e vários batalhões multinacionais de forças-tarefa táticas, entre outras unidades de ataque da OTAN.

    Tropas da OTAN participam dos exercícios militares na Polônia
    © AFP 2021 / Janek Skarzynski
    Tropas da OTAN participam dos exercícios militares na Polônia

    Além do mais, neste ano bombardeiros estratégicos dos EUA se aproximaram por mais de dez vezes das fronteiras da Rússia na área de responsabilidade da Frota do Báltico, e no total ao longo deste ano foram registradas mais de 1.000 missões aéreas de reconhecimento perto da fronteira ocidental do país.

    Anteriormente, três bombardeiros deste tipo simularam ataques aéreos à região russa de Kaliningrado com mísseis de cruzeiro a partir do espaço aéreo europeu.

    Mais:

    Bombardeiros B-52 dos EUA simulam ataque aéreo contra Rússia
    Rússia venceria forças da OTAN no Báltico em menos de 60 horas, segundo Forbes
    Bombardeiros B-52 dos EUA simulam ataque aéreo à 'fortaleza russa no Báltico', escreve Forbes
    Tags:
    OTAN, bombardeiro estratégico, B-52H, fronteiras russas, Frota do Báltico, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar