04:23 28 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    069
    Nos siga no

    No contexto da retirada anunciada das tropas norte-americanas do Iraque e Afeganistão, o Comando Central dos EUA enviou seus bombardeiros estratégicos B-52 Stratofortress ao Oriente Médio.

    Ilia Kramnik, especialista do Conselho de Assuntos Internacionais da Rússia, comentou a decisão ao jornal Kommersant:

    "O objetivo principal do envio dos B-52H Stratofortress ao Oriente Médio é assustar o Irã, uma espécie de insinuação aos países da região sobre um possível uso de armas, apesar dos planos de reduzir o contingente militar".

    O especialista opina que, apesar destes aviões estarem em serviço desde 1955, continuam sendo a principal ferramenta do Comando Estratégico dos EUA em tempos de paz.

    "O enorme alcance de voo [tendo em conta o reabastecimento no ar] e a grande carga de munições dos mísseis de cruzeiros fazem destes aviões uma arma perfeita para o primeiro ataque em conflitos locais", enfatizou.

    Em 22 de novembro, o Comando Central dos EUA (CENTCOM, na sigla em inglês) informou sobre o envio de bombardeiros estratégicos para a região para "conter a agressão e tranquilizar os parceiros e aliados dos Estados Unidos". É a primeira vez neste ano que os EUA enviam bombardeiros de longo alcance para o Oriente Médio.

    Um B-52H Stratofortress pertencente ao 419º Esquadrão de Testes de Voo passando por procedimentos de preparação de voo na Base Aérea de Edwards, Califórnia
    Um B-52H Stratofortress pertencente ao 419º Esquadrão de Testes de Voo passando por procedimentos de preparação de voo na Base Aérea de Edwards, Califórnia

    Em março deste ano, Washington começou a retirar gradualmente seu contingente militar da região. Em 17 de novembro, o secretário interino da Defesa dos EUA, Christopher Miller, anunciou planos para reduzir o número de tropas norte-americanas no Afeganistão e Iraque (a 2.500 militares em cada um dos países) até 15 de janeiro de 2021.

    Ainda assim, apesar da redução de tropas, os Estados Unidos pretendem continuar a exercer pressão sobre Teerã, ao menos, enquanto a administração Trump permanecer na Casa Branca.

    Mais:

    Bombardeiros B-52 dos EUA simulam ataque aéreo à 'fortaleza russa no Báltico', escreve Forbes
    Senador republicano alerta para possível desastre após saída de tropas dos EUA do Oriente Médio
    Grécia acusa Turquia de obstruir escolta de bombardeiro B-52 dos EUA durante exercícios da OTAN
    Tags:
    B-52H, EUA, aeronave, bombardeiros, estratégia, Irã, Oriente Médio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar