21:09 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1917
    Nos siga no

    Na terça-feira (17), dois bombardeiros da Força Aérea dos EUA entraram na zona de identificação de defesa aérea, realizando um sobrevoo próximo à costa chinesa.

    De acordo com a revista Military Watch, as aeronaves norte-americanas realizaram a manobra enquanto o Exército de Libertação Popular (ELP) conduzia uma série de exercícios de grande escala.

    As aeronaves dos EUA decolaram da base da Força Aérea de Guam e fizeram uma aproximação na costa leste, no mar da China Oriental, após conduzir um reabastecimento aéreo durante a missão.

    O B-1B tem sofrido com diversos problemas técnicos, e por isso, deve encerrar suas operações em um curto prazo.

    Bombardeiro B-1B da Força Aérea dos EUA
    Bombardeiro B-1B da Força Aérea dos EUA

    Por sua vez, a China introduziu diversos sistemas de armas adequados e capacitados para neutralizar estes tipos de aeronaves, incluindo o 40N6E, que possui um alcance de 400 quilômetros, podendo atingir Mach 14+, além dos mísseis PL-15, com 250 quilômetros de alcance.

    Contudo, Pequim ainda desenvolveu uma capacidade que tem um papel muito significativo, que é poder neutralizar os aeródromos que abrigam as aeronaves norte-americanas em apenas algumas horas.

    Recentemente, os EUA elevaram sua presença militar, posicionando jatos e navios próximo das fronteiras chinesas, o que Pequim considera uma ameaça. Washington, por sua vez, segue desafiando as reivindicações de Pequim sobre o mar do Sul da China, conduzindo operações militares nas águas disputadas.

    Mais:

    Marinha chinesa 'expulsa' destróier dos EUA do mar do Sul da China
    Marinha da Índia entra em alerta em meio às atividades da China no Índico
    China lança 2 novos submarinos nucleares para 71º aniversário da Marinha do país
    Tags:
    exercícios navais, exercícios, China, EUA, bombardeiros, Bombardeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar