01:26 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6250
    Nos siga no

    A Força Aérea da OTAN está se tornando cada vez mais furtiva. Porém, sem suficientes aeronaves de combate capazes de escapar de sistemas de radar é improvável que resistam à defesa antiaérea russa, segundo relatório do centro norte-americano de análise estratégica RAND.

    Ao todo na Europa, os países-membros da OTAN têm cerca de 1.900 caças e aviões de ataque, sendo apenas 100 deles caças furtivos de quinta geração – os F-35. A maior parte é de quarta geração. Os seus sensores e armas são modernos, mas estas aeronaves não têm capacidades de evitar de serem detectadas por radares e outros sensores.

    Mesmo os melhores aviões da quarta geração, tais como Eurofighter Typhoon e Dassault Rafale franceses, são vulneráveis aos sistemas de defesa antiaérea russos S-300 e S-400 que podem abater aviões inimigos a centenas de quilômetros de distância.

    Sistemas de mísseis terra-ar S-400 Triumph
    © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia
    Sistemas de mísseis terra-ar S-400 Triumph

    De acordo com especialistas do centro RAND, o envio dos referidos caças de quarta geração ao alcance das defesas russas "poderia causar desgaste inaceitável".

    "Os primeiros dias de conflito com a Rússia desafiariam a habilidade da OTAN de projetar poder em um ambiente [antiacesso] a fim de eliminar as [defesas antiaéreas], limitar a habilidade das forças terrestres de tomar territórios da Aliança [Atlântica] e abrir caminho para operações subsequentes", aponta a revista Forbes.

    Analistas afirmam que caças furtivos F-35 poderiam se aproximar dos sistemas de defesa antiaérea e destruí-los sem serem detectados.

    "As aquisições atuais e previstas de aeronaves de quinta geração [...] poderiam alterar radicalmente a forma como a OTAN conduz operações aéreas, melhorando a capacidade de sobrevivência e a letalidade e permitindo um maior envolvimento europeu em alguns dos cenários de missões mais exigentes", conclui artigo.

    Recentemente, Alemanha abriu mão de comprar caças F-35 da Lockheed Martin aprovando a aquisição de 38 caças Eurofighter Typhoon da Airbus.

    Mais:

    Turquia não planeja pedir permissão dos EUA para testar sistemas S-400, afirma Erdogan
    Surgem novas FOTOS dos danos causados por colisão entre F-35 e KC-130J da Marinha dos EUA
    Democratas lançam projeto de lei para barrar venda de F-35 dos EUA a países do Oriente Médio
    Tags:
    Rússia, sistema de defesa antiaérea, S-400, EUA, Eurofighter Typhoon, F-35, caças de quinta geração, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar