17:54 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3224
    Nos siga no

    Após vários planos fracassados, a China está desenvolvendo um caça furtivo, através do Instituto de Design e Investigação de Aviação de Shenyang.

    O Instituto de Shenyang e o departamento militar do AVIC Manufacturing Technology, ambos na China, estabeleceram em conjunto o denominado J.J. em 2018, com o objetivo de fabricar um novo tipo de caça, reportou o jornal Global Times, citando um artigo que ambas as companhias partilharam na plataforma social WeChat.

    A equipe está concentrada em desenvolver um modelo com entrada de motor curva, no formato da letra S. Apesar de serem equipamentos difíceis de fabricar e integrar, os motores com entrada curva conseguem bloquear a visão das turbinas do motor, o que reduz a presença do avião nos radares, conta o portal The National Interest.

    Ainda não se sabe se o design da nova aeronave é totalmente novo ou uma otimização do caça furtivo já existente, o FC-31, que nunca foi comprado por ninguém. A falta de compra deste aparelho pode se dever a rumores de que a versão atual iria ainda ser desenvolvida.

    Porém, os caças J-20, que começaram a operar em 2019, vão continuar a ser utilizadas, o que indica que o FC-31 pode ter sido mais um erro de projeto.

    Caça FC-31 exibido na exposição Airshow China em Zhuhai, província de Guangdong, na China
    © REUTERS / Tim Hepher
    Caça FC-31 exibido na exposição Airshow China em Zhuhai, província de Guangdong, na China

    À lista de projetos fracassados, ou de projetos ainda por terminar, juntam-se os caças J-18 e H-20, com as funções de pouso vertical e de bombardeamento pesado que foge de radares, respetivamente.

    Quantos desses projetos vão triunfar ou ficar por completar? Esta é ainda uma questão sem resposta.

    Contudo, mesmo sem sucesso iminente à vista, um avião desenvolvido na China terá maior probabilidade de servir militarmente do que qualquer outro avião que um país pequeno esteja tentando desenvolver. Na verdade, a China é o segundo maior investidor nas suas forças armadas, gastando mais de US$ 200 bilhões (R$ 1 trilhão, aproximadamente) anualmente, e ficando atrás dos EUA e do seu gasto de US$ 700 bilhões anuais (R$ 4 trilhões, aproximadamente).

    Caça furtivo J-20 voa durante a Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China (foto de arquivo)
    © AP Photo / Li Gang / Xinhua
    Caça furtivo J-20 voa durante a Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China (foto de arquivo)
    Contudo, o mercado internacional para caças furtivos não se apresenta positivo para nenhum dos lados, fabricantes e compradores, uma vez que recentemente tem ocorrido várias explosões com essas aeronaves. Deste modo, os países deverão optar por opções mais seguras e avançadas.

    Na verdade, Richard Aboulafia, analista do Teal Group, com base em Virgínia, EUA, conta ao The National Interest que a maioria dos "conceitos de caças de guerra nacionais são quase sempre uma péssima ideia".

    Mais:

    Índia testa com sucesso versão aprimorada do lançador múltiplo de foguetes Pinaka (FOTO, VÍDEO)
    Japão deve rever sua relação com EUA por causa da China, diz diplomata
    China cria lei para aumentar poder da Guarda Costeira sobre navios estrangeiros no seu território
    Tags:
    AVIC, caça, militar, Defesa, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar