03:39 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 76
    Nos siga no

    A aeronave não tripulada desenvolvida para participar de missões em grupo deve fazer seu primeiro voo ainda este ano.

    Um protótipo de drone de ataque Loyal Wingman, desenvolvido pela empresa norte-americana Boeing para a Força Aérea australiana, realizou recentemente seu primeiro táxi, ou seja, se movimentou sob sua própria força. Foi um marco importante para a aeronave, que deve fazer seu primeiro voo ainda em 2020, afirmou a Boeing Australia em comunicado na quinta-feira (22).

    A nota afirma que a aeronave atingiu uma velocidade máxima de 26 quilômetros por hora na pista e realizou várias manobras, em movimento e parada, de acordo com as instruções dos operadores.

    "O táxi de baixa velocidade nos permitiu verificar a operação e integração dos sistemas da aeronave, incluindo direção, frenagem e controles do motor, com a aeronave em movimento", explicou Paul Ryder, gerente de testes de voo da Boeing Australia.

    O modelo tem uma autonomia de 3.700 quilômetros, mede 11,7 metros de comprimento e possui um setor modular adaptável no nariz, onde pode transportar sensores e armas. A aeronave projetada para ser usada em conjunto com outras plataformas, tripuladas ou não, e possui tecnologia de inteligência artificial para esses tipos de missões em grupo.

    O programa Loyal Wingman representa o maior investimento da Boeing na fabricação de drones fora dos EUA e, de acordo com a empresa, a Força Aérea australiana planeja comprar três desses drones.

    Mais:

    Pentágono desenvolve drone 'simulador de caças inimigos de 5ª geração' (FOTO)
    Rússia desenvolve módulo de detecção de drones por ruído
    Falhas são detectadas em drones Global Hawk vendidos pelos EUA
    Drone 'reabastece' submarino nuclear dos EUA durante testes em alto-mar (VÍDEO)
    Tags:
    drones, EUA, Boeing, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar