21:57 23 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5165
    Nos siga no

    O porta-voz do Ministério da Defesa da Armênia, Artsrun Ovannisyan, declarou no domingo (27) em briefing que os vídeos publicados por Baku do conflito em Nagorno-Karabakh contêm gravações feitas durante a Guerra na Síria.

    "O lado azeri não divulgou uma única gravação da derrota das posições armênias e dos equipamentos militares. Havia algumas imagens que foram gravadas na Guerra na Síria", afirmou o porta-voz armênio.

    Anteriormente, o Ministério da Defesa do Azerbaijão publicou vídeo de ataque a tanques armênios.

    Mais dois tanques das Forças Armadas da Armênia foram destruídos pelo fogo preciso das nossas unidades, lê-se na descrição do vídeo.

    Por sua vez, o Ministério da Defesa da Armênia divulgou uma gravação de ataque a comboio de veículos militares azeris durante os combates em Nagorno-Karabakh.

    Erevan afirmou que Baku perdeu cerca de 30 tanques e veículos blindados, além da apreensão de 11 unidades militares pelo Exército da Defesa de Nagorno-Karabakh.

    No domingo (27), o primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, afirmou que o conflito em causa pode ir além das fronteiras e ameaçar a segurança internacional.

    Baku perdeu o controle sobre Nagorno-Karabakh e sete áreas vizinhas em 1992-1994 como resultado do confronto armado.

    Desde 1992, as negociações para a solução pacífica do conflito têm sido conduzidas pelo Grupo de Minsk da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, liderado por três países: Rússia, EUA e França.

    Mais:

    Armênia declara lei marcial após escalada de conflito militar com Azerbaijão em Nagorno-Karabakh
    Em meio às tensões em Nagorno-Karabakh, Azerbaijão e Armênia trocam acusações de desinformação
    OTAN exige fim do conflito militar entre Armênia e Azerbaijão
    Tags:
    Azerbaijão, Armênia, Nagorno-Karabakh, veículos blindados, veículos militares, tanques, conflito armado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar