06:23 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5511
    Nos siga no

    Uma foto divulgada nas redes sociais, supostamente captada durante um voo de teste, mostra o novo caça furtivo da China, semelhante ao caça norte-americano F-35.

    O último protótipo do caça de última geração FC-31 pode ter passado por diversas modificações, mostraria a foto divulgada na rede Weibo e publicada pelo jornal South China Morning Post.

    Na foto em questão, o caça foi flagrado usando seus pós-combustores e ganhando altitude com o logotipo de seu desenvolvedor, a Corporação da Indústria de Aviação da China (AVIC, na sigla em inglês).

    Suspeita-se que a aeronave tenha sido equipada com novos aviônicos, como um radar de varredura eletrônica ativa, ou AESA.

    ​China: o último protótipo do caça furtivo FC-31 Gyrfalcon da China provavelmente realizou um voo de teste, segundo foto não verificada.

    Outra modificação está na cabine, onde a aeronave recebeu um canopi mais parecido com o usado pelo caça chinês J-20, para elevar suas capacidades furtivas.

    Apesar das modificações, a empresa chinesa parece ter mantido os motores turbofan WS-13 da versão anterior da aeronave, que é considerada como o segundo caça furtivo desenvolvido no país, depois do J-20.

    Por ser mais leve e menor que o J-20, o FC-31 poderá ser uma melhor opção para operações nos novos porta-aviões chineses, que contarão com um sistema de lançamento de catapulta.

    O FC-31 tem um peso máximo de decolagem de 25 toneladas, um alcance de combate de 1.200 quilômetros e uma velocidade máxima de Mach 1,8. Além disso, ele tem uma carga útil de oito toneladas.

    Mais:

    Caça de nova geração da China deve fazer voo inaugural em 2021, segundo relatos
    Taiwan intercepta caça chinês J-10 em sua zona de identificação de defesa aérea
    Índia planeja adquirir 33 caças russos sob diretiva de emergência em meio a tensões com China
    Tags:
    equipamento militar, China, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar