06:01 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3168
    Nos siga no

    Um obuseiro Paladin M109 de 155 milímetros adaptado derrubou um drone BQM-167 Skeeter que simulava um míssil de cruzeiro russo durante testes do Sistema Avançado de Gestão de Combate (ABMS, na sigla em inglês).

    De acordo com a Breaking Defense, o veículo autopropulsado do Exército norte-americano alcançou o alvo com um projétil que atingiu cinco vezes a velocidade do som. O episódio ocorreu no campo de testes de mísseis White Sands, no Novo México.

    "Os tanques que derrubam mísseis de cruzeiro são assombrosos, é algo como videogame, de ficção científica", comentou o diretor de aquisições da Força Aérea, Will Roper.

    O projétil que impactou o alvo pode alcançar velocidade de Mach 5 e foi disparado por um obuseiro Paladin M109 de 155 milímetros.

    A defesa aérea baseada em canhões foi parte de um teste de dois dias do novo sistema de gestão de combate, que está sendo desenvolvido pela Força Aérea.

    O ABMS é um sistema de inteligência artificial que reconhece os dados de sensores de uma grande quantidade de fontes diferentes (satélites, caças furtivos, drones, radares em terra), "ligando múltiplos sensores a múltiplos atiradores em tempo quase real".

    O general Glen VanHerck, chefe do Comando Norte dos EUA, afirmou que a demonstração provou que os sistemas de software controlados por inteligência artificial serão capazes de fornecer recomendações úteis para que os comandantes em campo tomem decisões adequadas durante hostilidades contra seus adversários potenciais.

    Mais:

    Exército dos EUA testa capacidade de defesa contra bombardeiros em exercícios no Atlântico (FOTOS)
    Exército dos EUA está retirando 2 sistemas de mísseis Patriot do Oriente Médio, diz fonte
    Exército dos EUA divulga VÍDEO de bombardeio contra posições do Daesh no Iraque
    Tags:
    EUA, Exército, canhão, obuseiro, veículo blindado, carro blindado, blindados, blindado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar