15:08 04 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)
    0 70
    Nos siga no

    A partida do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth foi adiada pela segunda vez após confirmação de diversos casos positivos de COVID-19 entre a tripulação.

    O porta-aviões deveria zarpar da cidade portuária de Portsmouth, no sudeste do Reino Unido, mas teve de adiar seus planos após vários tripulantes testarem positivo para o novo coronavírus.

    De acordo com a Sky News, a notícia foi confirmada pelo Ministério da Defesa britânico, que informou existirem "menos de dez" casos positivos no grupo de 1.000 tripulantes que foram examinados na embarcação "durante a preparação de rotina para navegar", detalhou o porta-voz da Marinha Real.

    Navio HMS Queen Elizabeth, o maior navio de guerra já construído para a Marinha Real britânica, chega ao território britânico de Gibraltar, 9 de fevereiro de 2018
    © AP Photo / Marcos Moreno
    Navio HMS Queen Elizabeth, o maior navio de guerra já construído para a Marinha Real britânica, chega ao território britânico de Gibraltar, 9 de fevereiro de 2018

    Segundo ele, aqueles que testaram positivo regressaram a terra para serem isolados e garantir que o vírus não se propague.

    Como resultado, a saída do HMS Queen Elizabeth, que deveria zarpar para alguns exercícios de treinamento, foi atrasada por 24 horas. 100 tripulantes que haviam tido contato com os infectados foram isolados a bordo.

    Essa é a segunda vez que o porta-aviões teve de adiar sua partida devido ao coronavírus, sendo que a primeira ocorreu em abril, quando duas pessoas testaram positivo para COVID-19.

    A partida do porta-aviões está planejada para esta terça-feira (8). No entanto, dependerá do comandante do navio, o capitão Angus Essenhigh.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)

    Mais:

    China fala em retaliação e influência de Trump sobre Reino Unido por excluir Huawei da sua rede 5G
    Reino Unido espera que EUA paguem parte dos custos de nova ogiva para mísseis Trident
    Reino Unido promete US$ 6,6 milhões em ajuda humanitária ao Líbano
    Tags:
    novo coronavírus, COVID-19, Reino Unido, Marinha Real, Marinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar