15:45 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1260
    Nos siga no

    Até 2028, a Marinha russa planeja equipar a frota do Ártico com diversos quebra-gelos, navios de combate e de apoio.

    Até 1914, a Rússia não tinha forças militares na sua costa norte. Durante a Primeira Guerra Mundial, foi criada a flotilha do oceano Ártico.

    A União Soviética continuou reforçando a sua costa setentrional, iniciando uma exploração ativa e o desenvolvimento da região. Isso ajudou a vencer os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial ao receber a ajuda dos aliados através dos portos do norte, de difícil acesso para os submarinos alemães.

    Atualmente, para além de possuir importância estratégica, o Ártico representa uma das regiões com maior potencial, porém com pouco desenvolvimento econômico.

    Submarino nuclear Severodvinsk da Frota do Norte da Rússia
    Submarino nuclear Severodvinsk da Frota do Norte da Rússia

    As mudanças nas condições climáticas no Ártico permitem agora uma rota marítima mais curta entre a Europa e a Ásia, alternativa ao canal de Suez.

    Além disso, a presença de importantes reservas de recursos naturais, principalmente petróleo e gás, assim como uma maior ameaça para a segurança da região proveniente dos EUA e seus aliados, levou a que a Rússia fortalecesse a sua presença militar nestes territórios.

    É por isso que o país decidiu reforçar a sua Frota do Norte com um grupo de navios auxiliares e quebra-gelos até 2028, segundo fontes do Ministério da Defesa, citadas pela mídia russa Izvestia.

    Atualmente, os estaleiros de São Petersburgo estão produzindo dois navios do projeto 23550: Ivan Papanin e Nikolai Zubov, capazes de proteger a costa, bem como de exercer a função de quebra-gelos e rebocadores.

    Cada uma das embarcações é dotada de uma ampla gama de equipamentos, armamento de defesa, helicópteros e pequenas embarcações de assalto.

    Além disso, nos estaleiros da cidade de Vladivostok estão sendo construídos dois navios do projeto 03182. São embarcações multifuncionais que podem transportar cargas, efetuar missões de busca e resgate, bem como ajudar a resolver emergências ambientais.

    A Rússia está implementando nos seus territórios árticos um sistema integrado de defesa desta região, incluindo sistemas de alerta precoce de superfície, submarinos e aéreos, bem como a criação de uma rede de defesa aérea e o treinamento de tropas para operar em condições climáticas frias.

    No futuro, a Marinha russa planeia instalar novos sistemas robóticos de combate para operações subaquáticas no Ártico. Um deles é conhecido como Garmonia e sua função principal será o rastreio de diferentes objetos subaquáticos. O sistema permite também detectar lançamentos de mísseis balísticos, bem como de mísseis de cruzeiro disparados de submarinos.

    Mais:

    Novíssimo submarino nuclear está prestes a se juntar à Marinha russa
    Marinha russa contará com 80 submarinos em 2020
    Marinha dos EUA: caça russo Su-35 fez intercepção 'perigosa' de P-8A Poseidon no Mediterrâneo
    Tags:
    quebra-gelo, Ártico, Frota do Norte, Marinha da Rússia, Marinha, navios russos, navios
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar