19:35 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6450
    Nos siga no

    A réplica se assemelha aos navios da classe Nimitz dos EUA, que frequentemente navegam nas águas do golfo Pérsico.

    O Irã transportou uma maquete de um porta-aviões norte-americano desde a cidade portuária de Bandar Abbas até as águas do estreito de Ormuz, segundo revelam imagens de satélite captadas no domingo (26).

    A réplica é similar aos porta-aviões de classe Nimitz da Marinha norte-americana, que frequentemente navegam através do golfo Pérsico, e poderia fazer parte de algum exercício naval das forças iranianas. Até o momento, não há qualquer confirmação oficial sobre o transporte.

    As imagens captadas pela empresa norte-americana Maxar Technologies mostram uma lancha rápida iraniana avançando até a maquete nas águas do estreito, enquanto em outras é possível observar réplicas de aviões estacionados no convés da maquete.

    De acordo com as imagens, a réplica do porta-aviões, de aproximadamente 200 metros de comprimento por 50 metros de largura, possui até 16 "caças" estacionados.

    A porta-voz da Marinha dos EUA, Rebecca Rebarich, citada pela Reuters, declarou não poder comentar "que valor tático esperaria [o Irã] obter com o uso da maquete em um cenário de treinamento ou exercício ofensivo".

    Anteriormente, o chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Alireza Tangsiri, anunciou que Teerã estabeleceu "cidades de mísseis" ao longo do litoral do golfo Pérsico e do mar de Omã, que poderiam ser um "pesadelo" para seus inimigos.

    Além disso, indicou que as forças iranianas monitoram cada movimento dos navios que entram no estreito de Ormuz.

    Mais:

    Armas inteligentes e precisas: Irã está pronto para guerra do futuro, diz comandante
    Judiciário do Irã confirma execução de iraniano acusado de colaborar com CIA, divulga mídia
    Incêndio atinge navios em porto no sul do Irã, segundo mídia (VÍDEO)
    Tags:
    Maquete, treinamento militar, Marinha, navios, Estreito de Ormuz, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar