03:53 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    228
    Nos siga no

    Com o aumento da competição na região do Ártico, o Departamento da Força Aérea dos EUA vai priorizar a realização de investimentos que permitam uma maior conectividade entre os recursos militares do país.

    "Alerta de mísseis, capacidades espaciais e aéreas, como você combina a quinta e quarta geração [de caças] [...] Será esse cada vez mais o caso quando olhamos para o futuro da guerra, em que os dados serão o meio com o qual vamos operar", afirmou o general da Força Aérea dos EUA, Dave Goldfein, no lançamento de um nova estratégia do Departamento para o Ártico, citado pelo portal Defense News.

    "É o acesso a dados, sua manipulação à velocidade da relevância; como construímos as redes que podemos operar sem descontinuidade, [tudo isso] é onde veremos a maior parte de nossos investimentos", afirma Goldfein.

    Segundo a nova estratégia, a Força Aérea e a Força Espacial dos Estados Unidos se comprometem a aumentar suas capacidades de defesa antimísseis no Ártico, explorando novas tecnologias de comunicação e vigilância, além de modernizar suas infraestruturas na região.

    Marinheiro estadunidense no mar de Beaufort, no Ártico
    © Foto / Marinha dos EUA
    Marinheiro estadunidense no mar de Beaufort, no Ártico

    Apesar de apontar o aumento de investimentos em diversas áreas, a estratégia não esclarece os valores destinados a este objetivo.

    Conforme o planejamento, as várias forças vão trabalhar conjuntamente para explorar novas tecnologias que permitam expandir a conectividade entre as forças militares na região, com novas conexões de dados e cobertura de satélite.

    Considerando a defesa antimísseis, há o interesse de "continuar trabalhando com o Canadá para identificar soluções materiais e não materiais para o Sistema de Alerta do Norte", assim como modernizar o sistema de vigilância de defesa antimísseis.

    A Força Espacial norte-americana vai "desenvolver e modernizar os meios existentes no Ártico, necessários para garantir o acesso e a liberdade de operar no espaço", indica a estratégia, sem estipular quais os tipos de capacidades necessárias.

    Além disso, serão também desenvolvidos meios para prever mudanças climáticas e ambientais com mais precisão.

    Mais:

    Rússia fortalecerá tropas do Ártico com tanques T-80 para operar no Extremo Norte
    Caças russos da Frota do Norte interceptam avião de reconhecimento da Noruega no Ártico
    Força Aérea dos EUA anuncia contrato bilionário para produção do caça F-15EX
    Tags:
    força espacial, Força Aérea dos EUA, Ártico, defesa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar