02:42 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    42912
    Nos siga no

    Após remodelagem de seu míssil ASM-3 a pedido dos militares, Japão aumentou a velocidade do armamento, que poderia ser usado em hipotético conflito naval com a China.

    Tendo em conta seu caráter insular e o cenário geopolítico asiático, em caso de guerra, a Marinha do Japão contaria com o mais novo míssil antinavio ASM-3.

    Segundo reportou a revista Forbes, no ano passado as Forças de Autodefesa japonesas decidiram efetuar modificações substanciais no míssil, com o objetivo de aumentar sua velocidade sem que seu gabarito sofresse grande alteração.

    Desta forma, o armamento voltou à fase de projeto, conduzido pela Mitsubishi Heavy Industries, e em um ano "reapareceu" acoplado a um caça F-2 do país.

    Japão prepara seu supermíssil esmagador de navios

    Observando atentamente o equipamento, o ASM-3 parece ter maior espessura que sua versão anterior, o que leva à conclusão de que os engenheiros instalaram um motor maior no míssil, que tem cerca de cinco metros.

    Sabe-se que o míssil pode voar a Mach 3, tornando sua interceptação uma tarefa difícil para o inimigo. Contudo, tal velocidade requer um novo tipo de propulsão, baseado em combustível sólido, para levar o armamento até a velocidade supersônica no início de sua trajetória.

    Logo em seguida, entra em cena a propulsão a jato ramjet, adicionando ar comprimido para a manutenção da propulsão supersônica.

    Ameaça à China?

    Ainda de acordo com a mídia, o míssil poderia ser usado em caso de conflito com a China.

    É válido ressaltar que os dois países estão envolvidos em disputas territoriais e que, em um cenário de guerra, o seu poder naval teria papel importante.

    Com alcance de mais de 320 km, o ASM-3 pode se tornar o principal míssil antinavio do Japão.

    Mais:

    Substituição dos F-35 dos EUA? Japão inicia desenvolvimento de caça de última geração
    EUA enviam avião de vigilância a base no Japão em meio a tensões na península coreana (FOTO)
    'Rebelião samurai': por que Japão não permite que EUA instalem antimísseis em seu território?
    Tags:
    conflito, Pacífico, China, míssil, Marinha do Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar