23:37 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    2173
    Nos siga no

    Uma nova nanofibra desenvolvida pela Universidade de Harvard promete uma tecnologia que protegerá o corpo dos soldados de projéteis e explosões.

    Apesar de a ciência ter desenvolvido diversas tecnologias para proteger os soldados, como os coletes balísticos, até agora era praticamente impossível criar dispositivos de proteção contra estilhaços ou bombas.

    O design de equipamentos contra temperaturas extremas é para a indústria de armas tão necessário quanto difícil, já que não é frequente encontrar materiais de alta resistência.

    Por isso, pesquisadores da Universidade de Harvard, junto com o Comando de Desenvolvimento de Capacidades de Combate do Exército dos Estados Unidos (CCDC, na sigla em inglês), desenvolveram um material que protege tanto de projéteis como de temperaturas mais extremas.

    ​Esta leve nanofibra multifuncional poderia proteger os soldados, astronautas e bombeiros de temperaturas extremas e ameaças balísticas.

    Além disso, como é feito de nanofibras, é leve e não dificulta a mobilidade dos soldados em combate.

    O autor principal do estudo, Kevin Kit Parker, é professor de Bioengenharia e Física Aplicada na Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas John A. Paulson de Harvard. Além disso, é tenente-coronel da reserva do Exército dos EUA e combateu no Afeganistão, onde pôde observar, em primeira mão, como a proteção corporal é capaz de salvar vidas, segundo afirmou ao jornal universitário Harvard Gazette.

    "Também vi como a armadura pesada limitava a mobilidade. Como soldados no campo de batalha, [nossas] três principais atividades são se mover, disparar e se comunicar. Se uma delas for limitada, a capacidade de sobrevivência é reduzida e coloca em perigo o êxito da missão", ressaltou.

    Sua experiência militar o levou a desenvolver a investigação, com o objetivo de encontrar um material multifuncional que pudesse proteger os soldados de qualquer ameaça externa.

    Alguns dos materiais clássicos usados na tecnologia militar são o Kevlar e o Twaron, fibras sintéticas que fornecem proteção balística ou térmica.

    ​Pesquisadores de Harvard, CCDC e USMA desenvolveram um material leve e multifuncional de nanofibra que pode proteger os soldados de temperaturas extremas e ameaças balísticas.

    A equipe de pesquisa usou uma técnica de eletrofiação, chamada de Rotary Jet-Spinning de Imersão (RJS) e desenvolvida por Parker, para fabricar as nanofibras.

    A Rotary Jet-Spinning (RJS) funciona como uma máquina de algodão doce. Uma solução líquida de polímero é carregada em um reservatório e empurrada para fora através de uma pequena abertura por força centrífuga, à medida que o dispositivo gira. Conforme a solução vai saindo do reservatório, o solvente evapora e os polímeros solidificam e se alongam em fibras pequenas e finas.

    Para testar o novo material, os pesquisadores simularam o impacto de estilhaços disparando grandes projéteis contra a amostra. Os resultados não mostraram grande diferença com testes feitos com Twaron.

    No entanto, nos testes de proteção térmica, a nova nanofibra forneceu 20 vezes mais capacidade de isolamento térmico do que os Twaron e Kevlar comerciais.

    "Demonstramos que é possível desenvolver têxteis altamente protetores. Nosso desafio agora é incrementar os avanços científicos a produtos inovadores para meus irmãos e irmãs do Exército", afirmou Parker.

    Mais:

    Exército dos EUA está retirando 2 sistemas de mísseis Patriot do Oriente Médio, diz fonte
    Misterioso projeto de blindado do Exército dos EUA é visto em fábrica de Detroit (FOTOS)
    Exército dos EUA divulga VÍDEO de bombardeio contra posições do Daesh no Iraque
    Tags:
    equipamentos militares, armas, soldados, EUA, exército
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar