17:04 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    21618
    Nos siga no

    Conhecido como "navalha voadora", o AGM-114R9X é um projeto pouco estudado, já que, apesar das evidências, o Pentágono segue negando sua existência.

    Uma das principais características deste projétil é que em vez de uma carga explosiva, ele possui seis navalhas que estendem pouco antes de impactar contra o alvo.

    Desta maneira, pode eliminar os alvos de alta prioridade minimizando o perigo das baixas colaterais que ocasionaria uma explosão.

    Até agora, apenas pudemos apreciar o dano causado por estes mísseis, que deixavam marcas características sobre os veículos contra os quais impactavam.

    ​Míssil Hellfire utilizado pela coalizão internacional para eliminar dois líderes da Al-Qaeda em Idlib.

    Um novo vídeo dos restos destes mísseis, que foram recentemente empregados para eliminar dois altos comandos afiliados ao grupo Al-Qaeda (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países) na Síria, revela alguns novos detalhes do projétil.

    Ao menos três dos projéteis foram utilizados no ataque. Em um deles é possível ver os restos de três navalhas que ficaram no míssil. Também há outro míssil com uma navalha mais completa.

    Além disso, é possível observar algumas esferas vermelhas, porém os diagramas de outros mísseis da série AGM-114 Hellfire revelam que estas não são exclusivas da "navalha voadora".

    Uma peça central e uma navalha similar podem ser observadas nas imagens captadas depois do ataque que ocorreu em Idlib em dezembro de 2019.

    ​Os restos do míssil AGM-114R9X Hellfire, utilizado recentemente próximo de Idlib por um drone da coalizão.

    Entre outras coisas, o novo vídeo revela as inscrições oficiais sobre os projéteis, que por sua vez revelam mais informações. Assim, as letras P/N indicam que se trata de um míssil guiado utilizado contra alvos terrestres.

    O código que se segue mostra também que este projétil estava associado à versão AGM-114R9G, cujos dados são poucos conhecidos.

    Segundo informação divulgada, os números de série destes elementos indicam que a Força Aérea dos EUA utiliza oficialmente esta versão do míssil desde 2017, destaca o portal The Drive.

    Posteriormente, The Wall Street Journal afirmou que estes mísseis foram utilizados amplamente não apenas na Síria, como também na Líbia, no Iraque, Iêmen e na Somália.

    Mais:

    Trump diz que EUA desenvolvem míssil hipersônico 17 vezes mais rápido do que os atuais
    Teste final de míssil de longo alcance dos EUA mostra 'desempenho sem falhas'
    'Objeto' voador intercepta míssil dos EUA durante exercícios da OTAN na Polônia (VÍDEO)
    Tags:
    foguete, EUA, projétil, míssil teleguiado, míssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar