03:49 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    255
    Nos siga no

    Uma nova arma silenciosa, precisa e mortal será instalada na aeronave de combate AC-130. Trata-se de um sistema a laser de 60 quilowatts, que deve ser integrado até 2022.

    Especialistas ocidentais afirmam que o sistema a laser permitirá atingir alvos desarmados no solo de maneira silenciosa, além de reduzir a poeira.

    A aeronave AC-130 passa por modernização desde 2015. Durante esta modernização, foram fabricadas munições guiadas de grande calibre, mísseis, munição ajustável para canhões de 30 milímetros e dois sistemas a laser, que podem gerar 120 e 60 quilowatts.

    O laser poderá lidar com alvos levemente blindados, aeronaves, helicópteros e infantaria. O sistema também pode agir de forma não letal, servindo para cegar soldados inimigos.

    Entretanto, a instalação do sistema ocuparia quase toda a fuselagem da aeronave, sendo assim os militares norte-americanos optaram pelo laser de menos potência, de 60 quilowatts, que foi projetado para destruir veículos civis.

    "O AC-130 tem um canhão de 30 milímetros, preciso como um rifle sniper, bem como diversas outras armas de alta tecnologia [...] Contudo, o laser fornecerá novas oportunidades ao canhão [...]", afirmou Tom Palenske, coronel do Comando de Operações Especiais da Força Aérea dos EUA, acrescentando que o sistema permitirá fazer um furo no motor de um veículo de maneira discreta, sem ruídos ou clarões.

    O Pentágono também afirma que o modernizado AC-130 será capaz de lidar com drones, cegar a ótica dos blindados e destruir mísseis de cruzeiro em voo.

    Apesar de toda expectativa e da confiança do Pentágono, alguns especialistas afirmam que essas tecnologias são uma utopia inacessível em um futuro próximo.

    "Existem diversos obstáculos em torno da criação de um laser de combate aéreo [...] Não há fonte de energia suficiente em um avião. Além disso, é preciso ter um sistema de refrigeração adequado. Chuva, nevoeiro, neve, nuvens, temperatura do ar, altitude e até mesmo o vento podem afetar consideravelmente a eficiência do laser", explicou Viktor Murakhovsky, editor-chefe da revista militar Arsenal Otechestva.

    Ele destacou que diversos países trabalham em sistemas a laser desde os anos 1960, mas ninguém conseguiu transformá-los em um sistema eficaz de combate.

    "Eu não acredito que os norte-americanos desenvolvam um laser de combate para o AC-130. Eles já tentaram algo parecido, mas não deu resultado", ressalta.

    Anteriormente, os EUA lançaram uma aeronave Boeing YAL-1 com laser químico, em 2002. Durante os testes, a aeronave eliminou com êxito seus alvos, mas o projeto foi encerrado em 2011, devido aos altos custos.

    Mais:

    Marinha dos EUA implanta 1º sistema laser antidrone em navio de guerra (FOTOS)
    EUA advertem China contra 'brincar de laser tag' com avião de vigilância no mar das Filipinas
    Marinha dos EUA acusa China de atacar um de seus aviões com laser
    Tags:
    arma a laser, raios laser, armas laser, Pentágono, EUA, avião de assalto, avião de ataque, avião de combate
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar