21:02 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    2250
    Nos siga no

    O primeiro porta-aviões totalmente produzido na China, Shandong, iniciou testes navais e treinamentos para testar equipamentos e armas, segundo militares chineses.

    A embarcação se trata do segundo porta-aviões da China, que, seguindo o plano anual, iniciou os testes navais, bem como treinamentos, conforme o porta-voz da Defesa chinesa, coronel sênior Ren Guoqiang.

    O general também citou que, durante os treinamentos, serão testados o desempenho das armas e dos equipamentos para aperfeiçoamento do nível destas embarcações e elevação das capacidades.

    Marinheiros chineses (foto de arquivo)
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Marinheiros chineses (foto de arquivo)

    Os testes estariam sendo conduzidos no mar Amarelo, já que a entrada da embarcação foi proibida em uma grande área até 2 de junho pela Administração de Segurança Naval da China, segundo o Global Times.

    "As tropas no porta-aviões precisam formar uma capacidade abrangente de combate independente e se integrar ao sistema de grupos de combate o mais rápido possível [...] Faremos o possível para tornar nosso porta-aviões capaz de lutar e vencer", afirmou à CCTV Li Yongxuan, diretor-executivo da Shandong.

    O Shandong Type 001A é um porta-aviões chinês de primeira geração, lançado em 26 de abril de 2017 para a Marinha do Exército de Libertação Popular, e o segundo porta-aviões construído pela indústria de defesa naval chinesa.

    A embarcação é uma versão modificada do projeto Liaoning, incorporando algumas melhorias e recursos que permitirão a operação de 40 aeronaves, incluindo 36 caças.

    Mais:

    Marinha da Índia entra em alerta em meio às atividades da China no Índico
    Marinha dos EUA lança míssil em meio a tensões com Pequim no mar do Sul da China (FOTOS)
    Marinha chinesa 'expulsa' destróier dos EUA do mar do Sul da China
    Tags:
    exercícios militares, exercícios navais, Marinha, China, porta-aviões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar