10:58 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 67
    Nos siga no

    Um dos laboratórios mais prestigiados dos EUA desenvolveu um novo combustível substituto para aquele que é atualmente utilizado para prover de energia os mísseis de cruzeiro.

    O Laboratório Nacional de Los Alamos (EUA) inventou novo tipo de combustível substituto para o JP-10 à base de petróleo de alta densidade de energia atualmente usado.

    De acordo com o laboratório, o substituto utiliza farelo de milho e outras matérias-primas em vez de produtos derivados de petróleo. O resultado se traduz em um tipo de combustível que pode ser obtido diretamente da cultura mais abundante nos EUA contornando fornecedores do exterior.

    Míssil Tomahawk é um dos mísseis mais numerosos no arsenal militar dos EUA. Desenvolvido na década de 1970, Tomahawk foi um dos primeiros mísseis de cruzeiro de baixa altitude e invisíveis ao radar a entrar em serviço, escreve portal Popular Mechanics.

    Míssil Tomahawk (imagem ilustrativa)
    Míssil Tomahawk (imagem ilustrativa)

    Atualmente 145 navios de guerra da Marinha dos EUA estão equipados com estes mísseis. Os Tomahawk são movidos por motores a turbina.

    A Marinha dos EUA possui um estoque bastante numeroso destes mísseis – cerca de 4.000 unidades, cada um deles propulsado por um motor turbofan Williams International F415, tornando o combustível JP-10 uma parte importante do inventário.

    Segundo o Laboratório Nacional de Los Alamos (LANL, na sigla em inglês), o novo combustível pode ser produzido inteiramente nos EUA através de produtos agrícolas domésticos. O combustível é feito de subproduto do processo de produção de etanol à base de milho.

    Mais:

    Paquistão testa com sucesso lançamento aéreo de míssil de cruzeiro (VÍDEO)
    Sistema de defesa antiaérea do Irã tomou avião por míssil de cruzeiro, segundo comandante iraniano
    Míssil de cruzeiro ucraniano passa por teste em voo rasante sobre mar Negro (VÍDEO)
    Tags:
    combustível, petróleo, Tomahawk, milho, etanol, Marinha dos EUA, míssil de cruzeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar