03:42 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5974
    Nos siga no

    A Viatura Blindada Universal de Engenharia pode incorporar um martelo hidráulico para destruir estruturas de concreto ou um braço para escavações.

    O Ministério da Defesa da Rússia iniciou a fase final de testes do promissor veículo blindado universal de engenharia (UBIM, na sigla em russo), segundo comunicado.

    Após ser testado com êxito, o veículo, construído com o chassi do tanque T-90, será adotado pelos sapadores russos. O veículo foi apresentado em 2018 pela Uralvagonzavod, principal fabricante de veículos de combate e blindados do país.

    Pesando 55 toneladas, o veículo é propulsado por um motor de 1.100 cavalos de potência, o que permite alcançar velocidades de até 60 quilômetros por hora. Além disso, o veículo tem autonomia de aproximadamente 500 quilômetros.

    Veículo universal de engenharia blindado
    © Sputnik / Vitaly Belousov
    Veículo universal de engenharia blindado

    O UBIM porta um módulo de combate controlado de forma remota, além de integrar uma metralhadora pesada de 12,7 mm de calibre com 1.200 cartuchos.

    O compartimento habitado do veículo foi projetado para dois tripulantes e três sapadores. Também está equipado com uma lâmina niveladora e um guincho de tração para a evacuação de carros de combate avariados.

    O veículo pode incorporar um martelo hidráulico para destruir estruturas de concreto ou um braço com concha para escavações. O Exército usará o novo veículo para abrir caminho para o avanço de suas tropas, criar estradas, preencher valas, organizar saídas de barrancos e diversos outros trabalhos de engenharia.

    Mais:

    Novo sistema de defesa antimíssil russo é projetado para 'blindar' Moscou
    Blindado russo T-15 Armata será equipado com módulo de combate contra tanques e drones
    Veículo militar dos EUA empurra blindado russo em estrada na Síria (VÍDEO)
    Tags:
    Rússia, veículos militares, veículo blindado, blindados, blindado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar