14:21 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    61029
    Nos siga no

    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, se pronunciou sobre a manutenção de bombas atômicas norte-americanas na Alemanha.

    Stoltenberg afirmou que a doutrina do "compartilhamento nuclear" asseguraria a Berlim um "lugar à mesa" da aliança para tomar decisões estratégicas, revela o portal Defense News.

    "O compartilhamento nuclear da OTAN é um dispositivo [...] que garante benefícios, responsabilidades, e os riscos da dissuasão nuclear são compartilhados entre aliados", descreveu o secretário em um artigo de opinião para o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung. "Politicamente, isto é significante [...] Aliados participantes, como a Alemanha, tomam decisões conjuntas sobre política e planejamento nuclear, assim como mantêm equipamentos apropriados."

    Esta política considera que países da Europa que não possuem armas atômicas recebam e mantenham em seus territórios os meios para usá-las. No caso da Alemanha, existiriam atualmente 20 bombardeiros B61 no oeste do país.

    Se convocados, os pilotos alemães sobrevoariam território inimigo para efetuar ataques com armamento nuclear.

    Nas últimas semanas começou-se a debater ativamente o papel nuclear da Alemanha após a recomendação do Ministério da Defesa do país de adquirir 30 aeronaves F-18 para substituir os caças Tornado da Força Aérea alemã.

    Um técnico trabalhando em um caça Tornado alemão na base aérea de Incirlik, Turquia, em 21 de janeiro de 2017
    © AFP 2020 / TOBIAS SCHWARZ / POOL
    Um técnico trabalhando em um caça Tornado alemão na base aérea de Incirlik, Turquia, em 21 de janeiro de 2017

    Annegret Kramp-Karrenbauer, ministra da Defesa da Alemanha, citou tensões geopolíticas como argumento para manter ogivas nucleares dos EUA no país europeu.

    "Enquanto houver Estados com armas nucleares que não querem ser parte da nossa comunidade de valores, precisamos de uma forte posição de negociação", afirmou a ministra na semana anterior, conforme divulga o jornal Die Zeit. "A capacidade de dissuasão da disposição de compartilhamento nuclear serve este propósito. Aqueles que querem abandoná-lo estão enfraquecendo nossa segurança."

    Para o secretário-geral da aliança, "todos os aliados concordaram que, enquanto houver armas nucleares, a OTAN permanecerá uma aliança nuclear".

    Mais:

    O que navios da OTAN estariam fazendo perto do Ártico russo pela 1ª vez desde fim da Guerra Fria?
    China deveria triplicar arsenal nuclear para conter EUA, avalia editor do Global Times
    Frota do Norte da Rússia monitora ações de navios da OTAN perto de suas fronteiras
    Tags:
    Europa, EUA, Jens Stoltenberg, arma nuclear, OTAN, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar