02:26 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    82216
    Nos siga no

    Todos os bombardeiros estratégicos B-52 teriam deixado a base norte-americana em Guam, no oceano Pacífico, dias após uma grande demonstração com outras aeronaves.

    Os B-52 deixaram Guam nesta quinta-feira (16), encerrando a Missão de Presença Contínua de Bombardeiros, que começou em 2004, de acordo com o blog War Zone. Eles foram identificados sobrevoando a base da Força Aérea de Minot no estado norte-americano da Dakota do Norte, com o codinome "SEEYA".

    ​Os B-52H da Força Aérea dos EUA SEEYA01, 02, 03, 04 e 05 deixaram a base Andersen da Força Aérea em Guam, em direção a casa, à base de Minot, na Dakota do Norte.

    O reposicionamento está de acordo com a nova Estratégia de Defesa Nacional, convocando os bombardeiros a retornarem à sua base permanente e a manter as próximas missões menos previsíveis, afirmou ao portal Kate Atanasoff, porta-voz do Comando Estratégico dos EUA.

    "Os bombardeiros estratégicos continuarão a operar no Indo-Pacífico, incluindo em Guam, no momento e pelo tempo que escolhermos", comentou a porta-voz.

    A retirada das aeronaves foi acidentalmente revelada pelo Pentágono em 14 de abril, quando uma foto delas foi intitulada "Última Missão de Presença Contínua em Guam" no site oficial do Serviço de Distribuição de Informação Visual da Defesa (DVIDS, na sigla em inglês).

    Esta foi a mesma legenda usada para publicitar a demonstração de força "Caminhada de Elefante" poucos dias antes, quando os cinco bombardeiros B-52 se alinharam na pista de decolagem com seis KC-135 e outras aeronaves da Marinha dos EUA.

    Mais:

    Força Aérea dos EUA planeja munir bombardeiro B-1B com mísseis hipersônicos
    Projétil é lançado contra avião C-130 Hercules da Força Aérea dos EUA (VÍDEO)
    EUA podem instalar radar no Japão após China revelar míssil que pode atingir Guam
    Tags:
    B-52, oceano Pacífico, Força Aérea, EUA, Bombardeiro, defesa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar