07:26 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1423
    Nos siga no

    Forças da aviação naval e da Marinha russa estiveram no mar Negro usando sistemas de reconhecimento e simulando ataques de mísseis e bombardeios aéreos contra o inimigo convencional.

    Caças-bombardeiros Su-24M e o submarino Kolpino da Frota do Mar Negro da Federação da Rússia conduziram exercícios de lançamento de mísseis e bombardeios contra navios inimigos simulados, relata a Sputnik.

    "Durante o exercício, os operadores de drones Forpost e Orlan realizaram reconhecimento e detectaram no mar um destacamento de navios do inimigo convencional, que eram imitados pela fragata Admiral Essen e pelo navio de mísseis pequeno Orekhovo-Zuyevo", disse um comunicado do Ministério da Defesa russo.

    "Os dados recebidos dos veículos aéreos não tripulados foram transmitidos para a tripulação do submarino Kolpino, que durante a sessão de comunicação recebeu o sinal para utilizar o sistema de mísseis contra os alvos marítimos", explica.

    O submarino lançou um ataque condicional de mísseis sobre o "inimigo" com armas de alta precisão em estado submerso através de lançamentos eletrônicos. Por sua vez, os caças-bombardeiros Su-24M, depois de receberem dados dos alvos por parte dos drones, realizaram um bombardeio dos navios do inimigo simulado.

    Na segunda-feira (13) se soube que o USS Porter, um destróier da Marinha dos EUA, entrou no mar Negro. O Ministério da Defesa russo disse na ocasião que as forças e instalações da Frota do Mar Negro estão monitorando o navio dos EUA.

    Mais:

    Novíssima corveta russa Retivy
    Precisão nas alturas: pilotos russos executam reabastecimento aéreo a 6 mil metros do solo (VÍDEO)
    Fonte militar explica 'interferência russa' contra espionagem da OTAN na Crimeia
    Tags:
    Marinha dos EUA, USS Porter, Ministério da Defesa, Orlan, Admiral Essen, Sputnik, mar Negro, Rússia, Frota do Mar Negro, Kolpino, Su-24M
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar