10:46 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    247
    Nos siga no

    O USS Gerald R. Ford concluiu os testes dos seus sistemas vitais de combate, fornecendo detalhes sobre as capacidades do primeiro porta-aviões de sua classe dos EUA e a implementação de nova tecnologia.

    A Marinha dos EUA anunciou em um comunicado de imprensa na segunda-feira (6) que o USS Gerald R. Ford (CVN 78), navio líder da sua classe de porta-aviões, concluiu recentemente os testes dos sistemas vitais de combate como parte da sua fase de testes e ensaios pós-entrega.

    "Os testes exercitam o conjunto de sistemas de combate como uma unidade completa e garantem a máxima disponibilidade para cumprir os requisitos das missões de combate e autodefesa", afirmou o comandante Ron McCallister, oficial de sistemas de combate do Ford, no comunicado.

    "O conjunto de sistemas de combate acaba por atingir a máxima prontidão e os marinheiros desenvolvem mais competência operacional e técnica."

    McCallister observou que os ensaios foram possíveis devido a uma abordagem de colaboração entre a força do navio, o Comando de Sistemas Marítimos Navais e a comunidade técnica em geral.

    A Baliza do Radar de Controle de Tráfego Aéreo (ATCRB, na sigla em inglês) e o Identificador Amigo ou Inimigo (IFF) de modo 5 foram testados durante a primeira certificação dos sistemas integrados de combate do Ford.

    Objectivos dos testes

    O serviço detalhou que os testes da ATCRB avaliaram sua capacidade de utilizar um sistema avançado de identificação para localizar e identificar contatos aéreos e de superfície como amigo ou inimigo. O IFF auxilia no controle da aeronave e na identificação segura de um amigo.

    USS Gerard R. Ford, momentos antes da visita do presidente dos EUA, Donald Trump
    © AFP 2020 / SAUL LOEB
    USS Gerard R. Ford, momentos antes da visita do presidente dos EUA, Donald Trump

    "Utilizamos um sistema de interrogação para ativar os transponders da aeronave para identificação", explicou Juannietagrace Okeli, especialista de operações de 2ª classe, de Moss Point, estado de Mississippi.

    "O interrogador, a capacidade de envolvimento cooperativo e os Sistemas de Autoproteção do Navio (SSDS, na sigla em inglês) trabalham em conjunto para nos fornecer a identificação de combate."

    O Ford conseguiu igualmente completar os Testes de Desenvolvimento Marítimo (SBDT, na sigla em inglês) de sistemas de combate vitais, que incluíram o primeiro ensaio completo do sistema de combate integrado contra adversários tácticos por parte do porta-aviões.

    "SBDT é um trampolim para o Ensaio de Qualificação do Navio em Sistemas de Combate [CSSQT, na sigla em inglês] do Ford e para os testes operacionais posteriores pela Marinha", disse o comandante William Buell, oficial do Centro de Direção de Combate do Ford.

    Durante os SBDT, os marinheiros do departamento de sistemas de combate do Ford tiveram de subir munições simuladas para os operadores do Centro de Direção de Combate do navio para simular o combate a aeronaves.

    "As nossas operações de SBDT correram muito bem, o que é um bom indicador do sucesso futuro do CSSQT", afirmou Buell.

    Mais:

    Revelado entupimento frequente e custoso das privadas dos novos porta-aviões dos EUA
    USS Gerald R. Ford: conheça os problemas do novíssimo porta-aviões dos EUA
    Marinha dos EUA sofre com falta de porta-aviões no Atlântico
    Tags:
    IFF, EUA, USS Gerald R.Ford
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar