21:17 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5172
    Nos siga no

    A empreiteira chinesa Norinco Corp. fechou um acordo de venda de um sistema de mísseis antitanque para o exterior, mas os detalhes ainda são pouco conhecidos.

    A empresa de armamentos chinesa Norinco Corp. anunciou sua primeira exportação do sistema chinês de mísseis guiados antitanque (ATGM na sigla em inglês) HJ-12 de terceira geração. A Norinco não revelou mais informação sobre a transação, incluindo o nome do cliente, a quantidade de mercadoria vendida e seu valor.

    Este sistema, cuja maquete foi apresentada pela primeira vez em uma exposição internacional em 2014, é o único concorrente não ocidental do ATGM norte-americano FGM-148 Javelin, disse Vasily Kashin, especialista militar russo, à Sputnik China.

    Ambos os sistemas têm características táticas e técnicas semelhantes, possuindo sistemas de localização por infravermelhos, graças aos quais o operador do ATGM não precisa de manter o alvo na mira para o destacar durante o voo do míssil.

    A aplicação do princípio do "dispare e esqueça" aumenta, em muitos casos, as hipóteses de sobrevivência do operador do sistema no campo de batalha. Ambos são sistemas portáteis leves, pesando cerca de 22 quilogramas, com um alcance máximo de cerca de 4.000 metros.

    Custo das armas

    A peculiaridade de tais sistemas é o custo extremamente elevado dos mísseis neles utilizados, devido às dispendiosas cabeças de pontaria por infravermelhos. O preço de um conjunto de lançador e míssil do sistema Javelin para as Forças Armadas dos EUA ultrapassa significativamente US$ 200 mil (R$ 1,06 milhão).

    Soldados da Unidade Expedicionária de Fuzileiros norte-americana disparam o primeiro míssil Javelin jamais lançado durante o Exercício Slunj 2000 na Croácia
    © AFP 2020 / Ho-Dod
    Soldados disparando do sistema de mísseis antitanque Javelin

    Esses sistemas são várias vezes mais caros que os da geração anterior, com dispositivos semiautomáticos de orientação e iluminação do alvo por laser.

    A utilização maciça de tais sistemas só é viável para as Forças Armadas dos EUA, capazes de gastar dinheiro sem restrições e com poucas preocupações com a eficiência dos custos.

    No entanto, mesmo nestas condições, os sistemas da geração anterior não foram completamente substituídos pelos militares norte-americanos. As forças armadas de outros países que adquiriram sistemas Javelin são ainda mais econômicas na sua utilização.

    Tanto quanto é possível compreender, a China apresenta seu HJ-12 no mercado como uma alternativa mais barata ao Javelin, mas os preços exatos ainda são desconhecidos.

    Sistemas chineses da geração anterior que não aplicam o princípio "dispare e esqueça" poderiam ser seus concorrentes, tendo em conta que são bastante eficazes e já foram frequentemente testados em combate real. Trata-se, nomeadamente, das versões avançadas dos sistemas HJ-8, HJ-9, HJ-10 e HJ-11.

    Concentração da produção

    É de notar que a produção de todos estes tipos de ATGM parece estar concentrada em um grupo de empresas que fazem parte da corporação industrial militar Grupo Norinco. Ele inclui o Instituto de Pesquisa de Tecnologias de Controle Avançado de Xiam, também conhecido como NII-203, que realiza desenvolvimento, e a holding industrial North Industries Red Arrow Co. Ltd., anteriormente conhecida como Fábrica 282.

    O Regimento Lava Dogs dispara um sistema portátil de mísseis antitanque Javelin contra um tanque inimigo simulado durante procedimentos anti-blindados, Hawaí, 29 de maio de 2015
    Soldados dos EUA disparam sistema portátil de mísseis antitanque Javelin

    Assim, apesar da abundância de tipos de ATGM chineses, dificilmente há espaço a concorrência entre fabricantes. É possível que o fabricante chinês possa construir uma política de preços mais flexível para os seus HJ-12 através dessa concentração da produção, lutando assim por sua presença em mercados-chave.

    É possível que no futuro se fale de sua presença em zonas de conflitos armados do Oriente Médio, tais como o Iraque e o Iêmen, onde os ATGM são uma das armas mais importantes.

    Mais:

    Estônia recebe quase 130 mísseis antitanque dos EUA
    Exército indiano atinge posições paquistanesas com mísseis antitanque (VÍDEO)
    Departamento de Estado dos EUA aprova venda de mísseis Javelin para Ucrânia
    Tags:
    Javelin FGM-148, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar