21:05 24 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5810
    Nos siga no

    Os militares da Força Aérea estadunidense esperam receber um simulador com sistema "de tecnologia ultra-alta" para treinamento do controle de lançamento de armas nucleares a partir de uma aeronave em voo.

    Altos responsáveis da Força Aérea dos EUA disseram estar esperando a entrega de um novo simulador de treinamento do Sistema de Controle de Lançamento Aéreo (ALCS, na sigla em inglês), um dispositivo que pode ser usado para lançar armas nucleares a partir de uma aeronave em pleno voo.

    Prevê-se a substituição do simulador de treinamento do ALCS na Base Aérea de Offutt, em Nebraska, que foi danificado por uma enchente em 2019, relataram na terça-feira (24) responsáveis da base ao Defense News.

    O verdadeiro ALCS está a bordo de um dos aviões E-6B Mercury da Marinha dos EUA, um avião Boeing 707 altamente modificado, cheio de equipamento eletrônico e pessoal, cuja responsabilidade é garantir que os EUA respondam devidamente a um ataque nuclear. Este dever sombrio valeu-lhe o apelido de "avião do dia do Juízo Final".

    "O objetivo do sistema ALCS é aumentar a dissuasão, assegurando que nossos adversários nunca contemplem um primeiro ataque contra os Estados Unidos", disse em 2018 o coronel Eric Felt à SINAL, publicação da Associação de Comunicações e Eletrônica das Forças Armadas (AFCEA, na sigla em inglês).

    "Se eles quisessem pensar nisso, teriam de apontar e eliminar 450 das nossas instalações de lançamento em vez de apenas as 45 estações de controle de lançamento, então isso muda o cálculo de dissuasão na mente do nosso inimigo", explicou Felt, chefe da Divisão de Missão Conjunta de mísseis balísticos intercontinentais da Força Aérea.

    O militar também referiu o que acontece se nem tudo corre de acordo com o plano.

    "Se a comunicação com um dos centros de controle de lançamento for perdida, então a instalação de lançamento entra em um modo em que usa seus rádios para ouvir comandos do ALCS. Assume-se que algo aconteceu com o centro de controle de lançamento."

    Mais mudanças

    Felt observou que quando os mísseis balísticos intercontinentais Minuteman III, que têm décadas de existência, forem substituídos na próxima década pelos projéteis da Dissuasão Estratégica Baseada no Solo, o sistema ALCS de idade semelhante também precisará ser completamente revisado.

    Míssil balístico intercontinental Minuteman 3 sendo lançado durante teste operacional, na base aérea americana de Vandenberg, nos EUA
    © AP Photo / Força Aérea dos EUA
    Míssil balístico intercontinental Minuteman 3 sendo lançado durante teste operacional, na base aérea americana de Vandenberg, nos EUA

    O tenente-coronel Matthew Hlivko, comandante do 625º Esquadrão de Operações Estratégicas da base de Offutt, que é responsável pelo verdadeiro ALCS, disse ao Defense News que o novo simulador será de tecnologia ultra-alta.

    "O novo sistema virtual criará um ambiente de treinamento melhor para os estudantes e incluirá hardware, software, displays gráficos 3D e telas táteis mais confiáveis", disse Hlivko.

    Desde que o rio Missouri e Papio Creek incharam em meio a fortes chuvas na primavera de 2019, deixando Offutt debaixo d'água, as tripulações do ALCS tiveram que voar para a Base Aérea de Vandenberg, perto de Los Angeles, Califórnia, para fazer seu treinamento. As inundações também forçaram outros "aviões do dia do Juízo Final" da frota a serem redirecionados para outras áreas.

    Mais:

    Do que são capazes os submarinos dos EUA com mísseis hipersônicos?
    Força Aérea dos EUA pode 'aposentar' bombardeiro B-1B antes do previsto
    Estados Unidos renovarão todo o arsenal de mísseis Tomahawk
    EUA estariam preparando testes de novo sistema de armas hipersônicas
    Tags:
    EUA, Minuteman III, Defense News, Força Aérea dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar