23:32 05 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3818
    Nos siga no

    A Marinha Real britânica assinou o contrato de produção de um submarino autônomo, que será efetivamente o maior do mundo já construído.

    O contrato para o Veículo Subaquático Não Tripulado Extra Grande (XLUUV, na sigla em inglês) – que medirá aproximadamente 30 metros de comprimento e terá a capacidade de levar armas a bordo – foi atribuído à construtora britânica MSubs Ltd, especializada na construção de submergíveis militares e científicos, segundo a publicação Newsweek.

    O anúncio foi feito pelo almirante Anthony Radakin, diretor da Marinha Real do Reino Unido – na Conferência de Defesa e Segurança Submarina, nesta quinta-feira (5). Entre outros participantes, estavam representantes da OTAN e países aliados do bloco militar, além de empresas da área naval.

    O novo veículo terá um alcance de mais de 5.500 quilômetros, indicando que provavelmente não será movido somente por baterias.

    "Eu estou realmente entusiasmado com as possibilidades que isso oferece para aumentar nosso alcance e letalidade, melhorar nossa eficiência e reduzir o número de pessoas que temos que pôr em perigo", afirmou Radakin. "Precisamos nos manter na frente de nossos adversários. É por isso que a Marinha Real está atualmente passando por um período de transformação".

    É possível que o design do XLUUV se baseie em um drone da MSubs já em uso pela Marinha britânica.

    O grande espaço disponível na embarcação por não necessitar de instalações para a tripulação será utilizado para transportar uma quantidade substancial de armas - tais como torpedos e minas - ou ainda drones menores.

    Mais:

    Forças de defesa da Síria derrubam drone turco que tinha como alvo posições no norte do país
    Marinha da Rússia irá receber 5 submarinos em 2020, afirma ministro da Defesa
    Ataque de drone israelense mata civil sírio nas Colinas de Golã
    Tags:
    Marinha Real, Reino Unido, drone, submarino
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar