07:00 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    8491
    Nos siga no

    A revista norte-americana comparou as particularidades de cada um dos aviões de ponta da Rússia, que lhes permitem serem usados de forma complementar.

    Rússia pôs em serviço em 2014 o caça russo de nova geração Su-35, seguido pelo MiG-35 em junho de 2019, cada um dos quais tem suas vantagens, relata a revista The National Interest.

    Ambos são continuações de suas linhas de produção anteriores, o Su-27 e o MiG-29. O Su-35 é o mais forte dos dois aviões, apesar de semelhanças, tais como ambos usarem motores duplos potentes com vector de empuxo tridimensional, maior carga útil de armas, sistemas de guerra eletrônica e telas de cabine de última geração, segundo o artigo.

    Superiodade do Su-35

    Um dos trunfos do Su-35 é o radar Irbis-E, que pode detectar a maioria dos alvos do tamanho de um caça com alcance superior a 400 quilômetros, caças furtivos com alcance superior a 80 quilômetros e pode rastrear até 30 alvos aéreos em simultâneo. Com uma velocidade máxima idêntica de Mach 2,25 (cerca de 2.750 km/h), o Su-35 consegue igualmente suportar altitudes e alcance superiores.

    A forte resistência do modelo Su-35 permite-lhe carregar 12 a 14 mísseis durante um voo sem grande redução de seu alcance efetivo. Seu radar pesado dá-lhe vantagem em monitoramento situacional. O Su-35 também tem vantagem em tecnologia furtiva avançada, que reduz sua secção transversal de detecção por radar em mais de 70% em relação ao Su-27, desconhecendo-se a existência de tal tecnologia nos MiG-35.

    Vantagens do MiG-35

    O avião Su-35 também possui algumas desvantagens "críticas" relativamente ao MiG-35, que tem seu custo operacional 20% inferior ao MiG-29, o que o torna um dos aviões mais baratos de operar no mundo, apesar de continuar a ser bastante pesado e ter capacidades ofensivas de ponta.

    Como resultado, o caça MiG-35 pode ser utilizado por pilotos menos experientes, ser fabricado em maiores quantidades e cumprir mais missões. O radar do MiG-35 é mais leve e sofisticado, sendo o primeiro radar ativo integrado eletronicamente.

    Como escreve a revista norte-americana, os motores duplos dos dois modelos de aviões são dos melhores do mundo, apenas tendo iguais nos caças J-10C chineses, sendo que já os anteriores modelos de cada linha, Su-27 e MiG-29, "ofereciam manobrabilidade altamente superior a seus homólogos ocidentais".

    Utilização prática

    Em última análise, a Rússia deve priorizar a utilização de caças pesados como o Su-35, como o tem feito com os Su-27 e Su-30 nos tempos pós-Guerra Fria. Apesar de tudo, ainda tem mais de 150 caças MiG-35 planejados para complementá-los.

    As maiores produções do MiG-35 devem ser destinadas à exportação para clientes no estrangeiro, conclui The National Interest.

    Mais:

    Tecnologia e superioridade aérea: os 5 caças russos mais temidos
    De jatos a submarinos: Rússia negocia grandes acordos de armas com a Índia
    Mídia explica por que Su-27 foi melhor escolha para China do que F-16
    Mídia americana ressalta vantagens do russo Su-35 sobre o americano F-15EX
    Tags:
    Rússia, The National Interest, MiG-29, Su-27, MiG-35, Su-35
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar