22:01 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6716
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou na coletiva de imprensa concedida após a Conferência de Segurança de Munique que os EUA estariam se preparando para instalar mísseis antes proibidos pelo Acordo INF em territórios da Europa e Ásia e em ilhas no oceano Pacífico.

    Moscou havia solicitado aos EUA que evitassem instalar mísseis dessas categorias próximo às fronteiras russas, após Washington ter se retirado do Tratado INF, que proibia o desenvolvimento e instalação de mísseis de curto e médio alcance.

    Moscou acredita que o fim do acordo levaria à "degradação" do sistema internacional de controle de armamentos.

    Apesar do alerta, o chanceler russo relatou ter discutido com o seu homólogo norte-americano, Mike Pompeo, sobre o regime internacional de controle de armas. Para Lavrov, existem mudanças construtivas na posição dos EUA sobre o tema.

    "Claro, nós iremos discutir esses assuntos com a França, mas para que cheguemos a um acordo detalhado, precisamos de negociações multilaterais, de consultas multilaterais, que, claro, incluiriam os EUA – que destruíram o Tratado [INF] e agora estão se preparando para instalar essas armas, que eram proibidas, na Europa e também na Ásia – e eles não escondem isso", disse o ministro.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a sua decisão de se retirar do acordo INF em 2 de fevereiro de 2019. Washington alegou que Moscou teria violado o acordo, assinado em 1987. A Rússia negou as acusações, apesar de ter expressado suspeitas similares em relação ao cumprimento do acordo por parte de Washington.

    Após os EUA saírem do tratado em agosto, o Pentágono testou imediatamente um novo míssil de alcance intermediário, o que poderia indicar que os EUA teriam desenvolvido essa classe de armamentos antes mesmo de se retirarem do acordo.

    Ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, durante conferência de imprensa sobre os resultados da Conferência de Segurança de Munique, no dia 17 de fevereiro de 2020
    © Sputnik / Vitaly Belousov
    Ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, durante conferência de imprensa sobre os resultados da Conferência de Segurança de Munique, no dia 17 de fevereiro de 2020

    O acordo INF, assinado entre os EUA e a URSS no final da Guerra Fria, no ano de 1987, proibia ambas as partes de possuir ou desenvolver mísseis terrestres com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros. O acordo era considerado um dos pilares da estabilidade estratégica e da segurança global.

    Mais:

    Putin chama proliferação de mísseis de curto e médio alcance de ameaça após saída dos EUA do INF
    Reação americana? Conheça os mísseis testados pelos EUA após fim do INF
    'Não é aí que Washington vai parar': cientista político sobre saída dos EUA do Tratado INF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar