17:57 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7212
    Nos siga no

    O Pentágono publicou um mapa mostrando as áreas de alta atividade das Marinhas da Rússia e da China, como parte da preparação do orçamento militar dos EUA para o ano fiscal de 2021, relata o The Drive.

    Segundo a publicação da mídia, os dados mostram que Moscou e Pequim estão aumentando a intensidade de suas operações marítimas. O documento apresenta ainda a localização dos principais cabos submarinos.

    Embora o mapa não indique que período de tempo abrange, nem que tipos de embarcações navais estiveram presentes em locais específicos e quando, o gráfico confirma que tem havido um perceptível aumento da atividade naval russa na costa sudeste dos Estados Unidos, bem como no Atlântico Norte e Caribe, nos últimos anos.

    O mapa também reflete operações de grande escala na região ártica da Rússia, uma área que está se tornando cada vez mais importante estrategicamente.

    Mapa de atividades da Marinha Russa e da Chinesa de um documento publicado pelo Departamento de Defesa dos EUA
    Mapa de atividades da Marinha Russa e da Chinesa de um documento publicado pelo Departamento de Defesa dos EUA

    "Os navios russos também seguem rotas claras de trânsito no Atlântico, bem como no Pacífico, de acordo com o mapa. Há uma rota principal entre as águas da costa de Portugal e Espanha e do Sudeste dos EUA e Caribe, em torno de Cuba (algo que não é surpreendente), com ramificações que também vão do Atlântico Norte para a costa norte da América do Sul e entre o golfo da Guiné na África e a ponta nordeste do Brasil", escreve o artigo.

    Justificativa para gastos?

    Anteriormente, o vice-almirante Andrew Lewis da Marinha americana advertiu que a costa leste dos EUA já não é um porto seguro por causa dos submarinos russos, descrevendo a presença destes submarinos nesta região como um problema sério.

    "Nossos concorrentes globais continuam aumentando suas forças navais e expandindo suas áreas de operações e colaboração entre si", indica o resumo do orçamento.

    Por sua vez, o ex-chefe do Estado-Maior da Marinha russa, almirante Viktor Kravchenko, indica que a "Marinha russa está trabalhando em conjunto nas tarefas em diferentes áreas dos oceanos, incluindo o Atlântico e o Pacífico", declarando que a costa leste e oeste dos EUA nunca foi e nunca será uma área segura para os submarinos americanos.

    Na opinião do especialista Vladimir Shapovalov, através da publicação desses dados, o Pentágono está apenas tentando justificar os seus gastos crescentes, com o objetivo de aumentar as tensões no mundo.

    Submarino nuclear do projeto 941 Akula (Tubarão em russo)
    Submarino nuclear do projeto 941 Akula ("Tubarão" em russo)

    "Os EUA estão adotando o maior orçamento militar da história da humanidade, e isso deve ter alguns fundamentos, ninguém ataca os EUA, e não há ameaças claras à principal potência militar do mundo […] Os EUA estão constantemente se retirando de tratados que evitam o perigo de um conflito nuclear, e também precisam de uma justificativa para que isso esteja acontecendo", explicou Shapovalov.

    Mais:

    Estas são as 5 melhores infantarias navais do mundo, segundo National Interest
    Rússia mantém liderança no Ártico, de acordo com especialista militar
    Marinha dos EUA lamenta atraso nas armas hipersônicas em relação à Rússia e China
    Tags:
    Pentágono, Marinha da Rússia, China, EUA, orçamento militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar