14:30 22 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    25566
    Nos siga no

    Na opinião dos autores, existe um obstáculo "natural" capaz de impedir a progressão das tropas da Aliança Atlântica na Europa Oriental.

    Os rios seriam uma barreira natural à vitória em uma "guerra com a Rússia", escreve o portal Breaking Defense.

    A publicação nota que, em caso de um conflito militar entre os EUA e a Rússia, os combates terão lugar na Europa de Leste, uma vasta planície com muitos rios. Um desses rios, o Vístula, atravessa toda a Polônia de sul a norte, pelo que as tropas da OTAN teriam que utilizar diversas pontes para enviar reforços ou recuar. Só que estas raramente conseguem suportar mais de 55 toneladas.

    Ao passo que a infraestrutura da Europa Ocidental foi muitas vezes reforçada durante a Guerra Fria para suportar o peso de tanques da OTAN de mais de 60 toneladas, a Europa Oriental não construiu pontes de forma tão robusta, escreve a Breaking Defense.

    Tanques da OTAN são demasiado pesados

    Assim, segundo a fonte, para os tanques M1 Abrams, que pesa mais de 60 toneladas, e seus "irmãos" da Aliança Atlântica, o britânico Challenger II, o alemão Leopard II e até o francês Leclerc, seria "um desafio" usar muitas das pontes nos lugares mais importantes. As pontes mais resistentes não suportam mais de 60 toneladas, e precisariam de ser avaliadas previamente para decidir se os referidos tanques podiam atravessá-las.

    Vista da ponte Świętokrzyski sobre o rio Vístula em Varsóvia
    © Sputnik / Anton Denisov
    Vista da ponte Świętokrzyski sobre o rio Vístula em Varsóvia

    Por outro lado, os veículos de combate de infantaria bem armados como o M2 Bradley têm menos de 50 toneladas, podendo atravessar um grande número de pontes. Em seguida, poderiam se posicionar, atingir a infantaria inimiga e segurar posições até que os tanques pesados encontrassem um meio de atravessar o rio.

    Apesar de "algumas capacidades" das tropas de engenharia norte-americanas de construir pontes sob fogo, essas capacidades são demasiado limitadas para enfrentar os grandes rios da Europa de Leste, mesmo usando um veículo especial para implantar pontes móveis.

    A Polônia inclusive já foi criticada pelos reguladores da UE por causa da incapacidade das suas pontes de suportar veículos mais pesados. Muitos dos veículos soviéticos eram anfíbios justamente para atravessar diretamente os rios, conclui o autor.

    Mais:

    Novos drones da OTAN poderiam 'espionar' território da Rússia em raio de 200 quilômetros
    Exército europeu? UE já 'construiu as bases' para defesa comum, disse líder da Comissão Europeia
    Polônia está prestes a assinar acordo bilionário de compra de caças F-35 dos EUA
    Exército alemão estaria usando carros comuns por falta de blindados, revela jornal
    Rússia promete responder às principais manobras da OTAN na Europa
    Tags:
    M2 Bradley, Leclerc, Leopard 2, Challenger 2, M1 Abrams, Europa Oriental, OTAN, Rússia, União Europeia, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar