14:06 29 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    8312
    Nos siga no

    Os Estados Unidos planejam realizar quatro testes de lançamento de mísseis hipersônicos até o final de 2020, informou mídia.

    De acordo com a agência Bloomberg, esses mísseis poderiam voar a uma velocidade cinco vezes maior que a do som, assim como manobrar em voo.

    Nos últimos anos, Washington tem trabalhado ativamente na criação deste tipo de mísseis. Segundo a Bloomberg, em 2020, o Pentágono planeja uma expansão "muito agressiva" de seus esforços de desenvolvimento de armas hipersônicas.

    Em 2018, o Pentágono começou a desenvolver o míssil ARRW de classe ar-terra e, paralelamente, estava criando o míssil hipersônico de longo alcance HCSW para a Força Aérea americana.

    Capacidade de combate

    Em novembro de 2019, o secretário de Defesa americano Mark Esper comentou que, depois que a Rússia desenvolveu a tecnologia de armas hipersônicas, Washington tinha uma lacuna na capacidade de combate, que deveria ser eliminada.

    Em dezembro do mesmo ano, o presidente Vladimir Putin definiu a tarefa de aumentar as capacidades de combate da Marinha russa, equipando as novas fragatas e submarinos com mísseis hipersônicos Tsirkon.

    Míssil de cruzeiro hipersônico 3M22 Tsirkon
    Míssil de cruzeiro hipersônico 3M22 Tsirkon

    Recentemente, segundo uma declaração do Pentágono, a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos Estados Unidos (DARPA, na sigla em inglês) assinou um contrato com a multinacional norte-americana Northrop Grumman para a criação das tecnologias necessárias para desenvolver tecnologias de interceptação de armas hipersônicas.

    Mais:

    EUA iniciam desenvolvimento de tecnologias para interceptar armas hipersônicas
    Pentágono reconhece baixo desempenho dos EUA no desenvolvimento de armas hipersônicas
    Novas fragatas russas têm vantagem 'esmagadora' sobre as dos EUA, aponta revista norte-americana
    Tags:
    EUA, velocidade do som, míssil hipersônico, Pentágono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar