14:55 18 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    121128
    Nos siga no

    Na segunda-feira (6), foram realizados treinamentos estratégicos nos EUA com decolagem de mais de 50 caças furtivos F-35 em alguns minutos. A Força Aérea dos Estados Unidos afirma que não há relação com as tensões com o Irã.

    Na Base Aérea Hill, no estado norte-americano de Utah, foram realizadas manobras de movimentação rápida chamadas de "caminho do elefante", com decolagens de 52 caças F-35, tendo cada um dos caças subido aos céus com dois segundos de intervalo.

    Este é o mesmo número de alvos que o presidente Donald Trump afirmou que os Estados Unidos definiram no Irã caso ocorresse uma guerra. O exercício durou cerca de 10 minutos, de acordo com o jornal local The Standard-Examiner.

    Hoje decolamos em torno de 50 F-35 em rápido intervalo. Parte de um exercício de poder de combate planejado há muito tempo com a 388ª Ala de Combate, superamos nossos limites e testamos a habilidade de nossos aviadores de decolagem em massa de F-35. Nós estamos prontos para voar, lutar e vencer.

    De acordo com o portal Desert News, a base abriga 78 caças F-35, portanto mais da metade esteve presente no exercício aéreo.

    O subcomandante da 388ª Ala de Combate, Michael Ebner, em entrevista ao portal, afirma que as manobras enviam um sinal "não somente para potenciais adversários, mas também para a liderança do nosso país de que pode contar com o 388ª Ala de Combate para apoiar o poder de combate planejado e exigido".

    No entanto, Ebner nega que as manobras tenham alguma relação com a escalada de tensões no Oriente Médio, para onde o presidente norte-americano enviou diversos bombardeiros e tropas.

    Mais:

    Caças F-16 devem receber sistemas de radar usados no F-35
    Auditoria critica vulnerabilidades dos caças F-35 dos EUA obtidos pela Noruega
    Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã assume ataque à base aérea dos EUA no Iraque
    Tags:
    Estados Unidos, Defesa, F-35, caça, Oriente Médio, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar