14:55 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3250
    Nos siga no

    Tubos de torpedos recuados, maior universalidade e difícil detecção – os submarinos russos da classe Yasen-M apresentam características inovadoras, dificultando o trabalho do inimigo.

    Dentre os seis submarinos da classe Yasen-M planejados para a Marinha russa, dois deles deverão ser comissionados neste ano, o Kazan e o Novossibirsk, estando o primeiro já passando pela fase de testes.

    Diferente das outras gerações de submarinos, a classe Yasen foi elaborada com base em um novo esquema. Anteriormente os navios eram construídos na base de dois cascos, sendo que o mais leve envolvia o mais resistente.

    Isso aumentava a resistência da embarcação, mas influenciava negativamente a produção de ruído. Os submarinos desta classe foram feitos com o casco leve cobrindo o navio apenas parcialmente, protegendo a proa, a zona da ponte e o casco desde o compartimento de mísseis até à popa.

    Torpedos recuados

    Outra característica inovadora é a localização do compartimento dos tubos de lançamento de torpedos recuados em direção a meia-nau, ou seja, em local mais afastado da proa, enquanto que o mesmo deu lugar ao posto de comando. O objetivo disso seria melhorar o trabalho do complexo hidroacústico da embarcação.

    Segundo os projetistas do submarino, a classe Yasen-M supera os rivais norte-americanos no quesito de busca submarina justamente por essa inovação.

    É bom ressaltar que o submarino possui muitos sistemas automatizados, o que permitiu a redução do tamanho de sua tripulação para apenas 64 pessoas, número modesto se comparado ao tamanho da embarcação.

    Segredo de fábrica

    Ainda durante a cerimônia de lançamento ao mar, o Kazan teve sua hélice coberta por uma capa. A razão disso seria sua engenharia guardada a sete chaves, devido à qual a hélice não produz praticamente nenhuma vibração.

    Além disso, o casco do submarino é coberto com mais de 10 mil peças de borrachas que abafam os ruídos internos, tornando a embarcação menos perceptível aos sonares do inimigo.

    Chuva de mísseis

    O submarino também foi projetado com oito tubos de mísseis verticais, localizados na parte central do navio.

    Entre os mísseis capazes de serem disparados pelo Yasen-M estão diferentes modificações do míssil Kalibr: antinavio, antisubmarino e contra alvos terrestres.

    Tais mísseis são capazes de atingir alvos à distância de até 1.500 km.

    Também fazem parte de seu arsenal os mísseis supersônicos P-800 Oniks. Os mesmos podem destruir navios de grande dimensão.

    Sua velocidade máxima com uma carga de 250 kg é de aproximadamente 2.500 km/h, enquanto seu alcance é de 300 km, segundo o fabricante.

    Apesar de terem sido incorporados ao arsenal no início do milênio, segundo algumas fontes já foi criada uma versão do P-800 com alcance ampliado.

    Ressalta-se que o míssil pode ser armado tanto com carga convencional quanto nuclear, enquanto o Yasen-M pode portar até 32 mísseis Oniks.

    Submarinos não tripulados

    Também não se descarta a possibilidade de a classe Yasen-M transportar no futuro submarinos não tripulados, os quais poderiam ser usados para enganar submarinos inimigos, criando a ilusão da presença de uma embarcação em determinada região.

    A classe Yasen-M poderá carregar submarinos não tripulados tanto descartáveis como de uso múltiplo para missões de inteligência, ataque e comunicação.

    Mais:

    Marinha da Índia anuncia construção de 6 submarinos nucleares
    Lançado à água novo submarino de ataque diesel-elétrico russo, o Volkhov (VÍDEO)
    Como novo submarino indiano pode alterar balança de poder regional?
    Tags:
    855 Yasen, Kalibr, torpedo, tecnologia militar, Rússia, submarino
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar