14:13 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    2120
    Nos siga no

    Rússia está iniciando trabalhos de pesquisa e engenharia para criação dos sistemas robóticos de classe pesada e média Shturm e Soratnik, anunciou o comandante das Forças Terrestres da Rússia.

    De acordo com o comandante das Forças Terrestres da Rússia, Oleg Salyukov, o projeto Shturm inclui o desenvolvimento de um sistema automático de complexos robóticos de armas e equipamentos militares que permita seu uso coordenado no cumprimento de missões por unidades de forças terrestres.

    Atualmente, com base nas tecnologias do Shturm e de outro sistema, o Soratnik, será criada uma família de robôs por encomenda da entidade militar russa.

    "A adoção pelas tropas dos sistemas robóticos militares de combate, tal como o desenvolvimento da teoria de seu uso em combate, sem dúvidas, contribui para a mudança da sequência e das formas de cumprimento das tarefas táticas pelas unidades militares durante o combate", disse Salyukov.

    Ele também afirmou que durante este ano foram concluídos os testes das duas últimas versões de veículos blindados da família Taifun-K com sistema de armamento de controle remoto.

    "Para breve está planejado completar os testes governamentais de exemplares modernos de armamento blindado modernizado e iniciar o fornecimento em série do novo tanque T-90M e do modernizado veículo de combate de infantaria (BMP)", sublinhou ele.

    Além disso, o comandante das Forças Terrestres disse que está sendo terminado o desenvolvimento de uma linha de modelos de armas de artilharia de alta mobilidade com diversos tipos de chassi, inclusive para atuar na região do Ártico.

    Mais:

    Adversários equivalentes: como terminou 1º combate entre caças MiG-15 e F-86 no conflito coreano?
    Rússia terá bombardeiro estratégico não tripulado até 2040
    Defesa da Rússia acaba de receber mais novo sistema de mísseis antiaéreos S-350
    Tags:
    Rússia, Forças Terrestres, robotizado, robótica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar