18:39 20 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    8341
    Nos siga no

    Dez novos modelos de equipamento militar estão sendo desenvolvidos para a defesa antiaérea da Rússia, informa o jornal Krasnaya Zvezda.

    "Atualmente, a pedido do Ministério da Defesa, estão sendo realizados dez projetos de pesquisa e desenvolvimento por empresas do complexo militar-industrial, destinados à Defesa Antiaérea das Tropas Terrestres", afirmou durante entrevista ao jornal o tenente-general Aleksandr Leonov, chefe das Forças de Defesa Antiaérea da Rússia.

    Leonov observou que entre eles está o desenvolvimento do Derivatsya, um promissor complexo móvel de artilharia antiaérea com uma arma automática de 57 milímetros, projetado para combater mini e microdrones.

    Artilharia moderna

    No segundo trimestre de 2020, está previsto completar os testes estatais do equipamento Adyutant, cujo chassi possui alvos de treinamento que simulam todos os meios modernos de ataque aéreo, incluindo mísseis de cruzeiro, aviões e helicópteros.

    Complexo de artilharia antiaérea autopropulsionado 2C38 Derivatsya-SV no fórum técnico-militar internacional EXÉRCITO 2019
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Complexo de artilharia antiaérea autopropulsionado 2C38 Derivatsya-SV no fórum técnico-militar internacional EXÉRCITO 2019

    Entre os trabalhos já implementados está o sistema Gibka, uma torre de mísseis antiaéreos de controle remoto, no âmbito do qual foram igualmente criados e testados com sucesso protótipos de um veículo de reconhecimento e comando de chefe de pelotão e um veículo de combate de artilharia com o sistema de mísseis antiaéreos.

    Mais:

    Defesa antiaérea da Rússia receberá novas armas avançadas
    Armas a laser podem definir o potencial militar da Rússia no século 21, afirma Putin
    Sem análogos no mundo: teste do mais novo sistema de mísseis antiaéreos russo sai em VÍDEO
    Tags:
    armas russas, equipamento militar, sistema de defesa aérea, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar