05:05 21 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    151128
    Nos siga no

    O presidente norte-americano Donald Trump previu a produção de novos equipamentos militares para o Exército dos EUA depois de ter assinado o orçamento da defesa para o ano fiscal de 2020.

    A declaração foi feita através da conta no Twitter do líder americano no sábado (21) à noite.

    ​"Na noite passada fiquei tão orgulhoso por ter assinado a maior Lei da Defesa de todas! Foi criada uma Força Espacial muito vital. Novos aviões, navios, mísseis, foguetes e equipamentos de todos os tipos e tudo feito aqui mesmo nos EUA. Além disso, recebemos o financiamento do muro fronteiriço [em construção]. Legal!

    Trump chamou o orçamento militar do "maior investimento já feito no Exército dos Estados Unidos" durante a cerimônia de assinatura realizada na Base Aérea de Andrews, em Marylan.

    Sanções contra aliados?

    No dia 20 de dezembro, o líder norte-americano assinou o orçamento militar de US$ 738 bilhões (R$ 3 trilhões), que estabelece a Força Espacial (6º ramo das Forças Armadas dos EUA) e inclui medidas restritivas contra os gasodutos russos Nord Stream 2 e TurkStream, destinados a abastecer a Europa.

    Além disso, são financiadas novas iniciativas para enfrentar a concorrência e o que Washington vê como ameaças por parte da Rússia e da China.

    Caças norte-americanos F-35
    © AP Photo / Petros Karadjias
    Caças norte-americanos F-35

    Em relação às novas sanções contra Moscou, o Ministério das Relações Exteriores russo indicou que Washington está cruzando uma linha histórica na política externa, começando a impor sanções contra seus próprios aliados.

    Mais:

    Trump anuncia oficialmente a criação da Força Espacial dos EUA
    Sanções dos EUA não impedirão Nord Stream 2, diz senador russo
    Plano dos EUA de criar força militar espacial suscita preocupação na China
    Tags:
    equipamentos militares, orçamento militar, Donald Trump, Exército dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar