22:24 27 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3191
    Nos siga no

    Uma divisão da aviação naval do Comando do Teatro do Sul do Exército de Libertação Popular realizou um treinamento de reconhecimento aéreo no mar do Sul da China.

    De acordo com os especialistas, o treinamento elevou as capacidades de defesa do gigante asiático no mar do Sul da China, perante a constante presença de navios de guerra e aeronaves norte-americanos nas águas territoriais e espaço aéreo da região.

    Durante os treinamentos, foram realizados mais de dez tipos de simulações de sinais hostis de radares antiaéreos, além de testadas diversas táticas.

    Ao contrário dos exercícios anteriores, as tropas não receberam antecipadamente qualquer plano e executaram as missões como se fossem reais.

    Drone iguana-marinha da China
    © Foto / CSIC
    Drone iguana-marinha da China

    Durante o treinamento, um grupo de aeronaves recebeu ordens urgentes, mudando o status de treinamento para combate real, recebendo a inesperada missão de rastrear e identificar um grupo de alvos navais.

    O treinamento permitirá que as tropas se familiarizem com situações reais e intensas com o objetivo de obter experiência em enfrentar situações complexas, afirmou um especialista militar, que não quis se identificar, ao Global Times.

    A Marinha do EUA tem sido avistada frequentemente nas águas territoriais chinesas do mar do Sul da China, além da Força Aérea, que também sobrevoa a região. Por sua vez, a China tem realizado no mar do Sul da China uma série de exercícios com aeronaves, incluindo aviões antissubmarino e aviões de reconhecimento, entre outros.

    Mais:

    Frota chinesa de 650 navios é um grande pesadelo para Marinha dos EUA, segundo mídia
    Relatos: hackers chineses roubam dados secretos da Marinha estadunidense
    Mísseis chineses seriam um alerta à Marinha dos EUA?
    Tags:
    Marinha, China, exercícios militares, exercícios, treinamento militar, treinamento
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar