09:16 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    760
    Nos siga no

    A China se preocupa com a suposta formação da Força Espacial dos EUA e considera necessário iniciar o mais rápido possível as negociações e elaborar um acordo internacional sobre armas e espaço.

    O porta-voz da chancelaria da China, Geng Shuang, citado pelo portal Infobae, expressou a preocupação do país asiático com os planos americanos da criação da Força Espacial.

    "Eles [os planos] servem para ilustrar o risco crescente de armamento no espaço, que pode transformá-lo em um novo palco de guerra. A China está profundamente preocupada com isso", disse o porta-voz.

    Além disso, ele indicou que o espaço é patrimônio de toda a humanidade e que a garantia do seu uso pacífico, a prevenção de sua militarização e da corrida armamentista no espaço correspondem tanto aos interesses de todos os países como à responsabilidade geral.

    "Nas atuais circunstâncias, é mais importante e urgente iniciar a negociação de um instrumento juridicamente vinculativo sobre o controle de armas no espaço. Esperamos que a comunidade internacional, principalmente alguns dos principais países, adote uma atitude prudente e responsável para salvaguardar a paz e a tranquilidade duradouras no espaço e garantir que este não se torne um novo campo de batalha", sublinhou Geng Shuang.

    Em 17 de dezembro, o Senado dos EUA aprovou o projeto de orçamento militar para 2020 no valor de US$ 738 bilhões (R$ 3 trilhões).

    Na semana passada, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos expressou seu apoio ao documento e agora o projeto de orçamento será apresentado ao presidente norte-americano Donald Trump para assinatura.

    Mais:

    Bolsonaro dá sinal positivo para parceria espacial Brasil-China, segundo coordenador do INPE
    Corrida espacial? China se prepara para explorar planetas aptos para vida
    Emirados Árabes Unidos defendem criação de agência espacial árabe
    Tags:
    Forças Especiais dos EUA, forças espaciais, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar