07:43 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    232
    Nos siga no

    OTAN irá receber nesta quinta-feira (19), o segundo dos cinco aviões não tripulados Global Hawk produzidos nos EUA e destinados ao sistema de vigilância da aliança, estimado em US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 6,1 bilhão). Sistema é discutido há três décadas e deveria ter entrado em operação em 2017.

    Após anos de atraso, OTAN está mais próxima de obter seu sistema de drones que, segundo a aliança, será o mais avançado do mundo. Nesta quinta-feira (19), base aérea na Itália receberá o segundo exemplar dos cinco previstos.

    "Estamos praticamente criando uma pequena força aérea", disse o general de brigada Volker Samanns, diretor sênior de vigilância terrestre da aliança.  

    O sistema seria capaz de operar 24 horas por dia e fornecer informações praticamente em tempo real, desenhando mapas e captando imagens com definição superior às de satélite.

    A instalação do sistema é discutida há cerca de três décadas e estava prevista para ser concluída em 2017, reportou a Reuters.

    "Percorremos um longo, longo caminho", disse Samanns.

    Os drones Global Hawk serão operados a partir da base aérea de Sigonella, na Itália, em instalações construídas pela francesa Airbus. Junto com 14 aeronaves de reconhecimento AWAC, os Global Hawk serão uns dos poucos equipamentos militares possuídos pela própria OTAN –os demais equipamentos são de posse dos Estados-membros da aliança.

    Com capacidade de voar por até 30 horas a grande altitude, os drones, produzidos pela norte-americana Northrup Grumman, foram financiados por quinze países da aliança, incluindo Polônia, EUA e Itália.

    Drone estratégico RQ-4 Global Hawk da Força Aérea dos EUA
    © AP Photo / Northrop Grumman Corp.
    Drone estratégico RQ-4 Global Hawk da Força Aérea dos EUA

    Os 29 Estados-membros da aliança terão acesso às informações produzidas pelo drone, que, de acordo com o general de brigada, voarão no espaço aéreo da OTAN, mas poderão estender sua área de operação em caso de conflito.

    O uso de drones militares é prática bastante difundida no campo de batalha moderno, tanto pela capacidade de coletar informações de inteligência, quanto pela realização de voos de longa duração.

    As entregas para OTAN foram realizadas após a Alemanha ter cancelado compra de drones Global Hawk pelo seu alto custo e problemas de certificação.

    Mais:

    'Guerra de nova geração': drone Okhotnik e caça Su-57 geram furor entre analistas dos EUA
    Exército indiano repensa compra de drones dos EUA após incidente no estreito de Ormuz
    Drone russo Okhotnik e caça Su-57 voam juntos pela 1ª vez (VÍDEO)
    Oficial dos EUA alega que Irã não avisou forças americanas antes de derrubar drone
    Tags:
    Polônia, EUA, Itália, base aérea, espionagem, drones
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar