04:05 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5211
    Nos siga no

    A Rússia enviou a sua corveta Vyshniy Volochyok para vigiar as ações do destróier USS Ross da Marinha dos EUA assim que este entrou no mar Negro.

    A embarcação americana entrou na parte sudoeste do mar, neste domingo (15) e está sendo acompanhada pela corveta da Frota do Mar Negro, informou o Centro Nacional de Gestão de Defesa russo.

    Este é o oitavo navio da Marinha dos EUA a chegar à região somente neste ano.

    Em outubro, Washington enviou para a mesma área o destróier USS Porter, equipado com mísseis. Naquele mês, suas ações foram controladas pela fragata russa Admiral Essen, bem como pelos navios Vyshniy Volochyok e Orekhovo-Zuyevo.

    De acordo com a Convenção de Montreux de 1936, os navios de guerra de Estados não ribeirinhos do mar Negro têm o direito de permanecer em suas águas por um período máximo de 21 dias.

    Lançamento de míssil a partir da corveta Vyshny Volochyok durante os exercícios militares da Frota do Mar Negro e do Distrito Militar do Sul da Rússia na Crimeia
    © Sputnik / Andrei Stanavov
    Lançamento de míssil a partir da corveta Vyshny Volochyok durante os exercícios militares da Frota do Mar Negro e do Distrito Militar do Sul da Rússia na Crimeia

    Washington insiste que as suas missões navais no mar Negro são realizadas em conformidade com o direito internacional numa base rotativa. Moscou afirma que a presença da Marinha dos EUA na região aumenta as tensões e o risco de incidentes, capazes, na pior das hipóteses, de provocar um conflito militar na Europa.

    Mais:

    Marinha da Rússia escolta destróier dos EUA que entrou no mar Negro
    Mais uma 'visita': avião militar dos EUA realiza voo de vigilância junto à costa russa do mar Negro
    Caça russo intercepta bombardeiro dos EUA perto da fronteira na região do mar Negro
    Tags:
    Marinha dos EUA, Rússia, águas internacionais, USS Ross, Frota do Mar Negro, Mar Negro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar